Portugal destaca-se entre 200 países na preocupação com alterações climáticas, diz estudo

Portugal destaca-se entre cerca de 200 países relativamente à preocupação com as mudanças climáticas, com 93% dos inquiridos a responder nesse sentido, de acordo com um estudo da Meta, dona do Facebook, hoje divulgado.

Portugal destaca-se entre 200 países na preocupação com alterações climáticas, diz estudo

Portugal destaca-se entre 200 países na preocupação com alterações climáticas, diz estudo

Portugal destaca-se entre cerca de 200 países relativamente à preocupação com as mudanças climáticas, com 93% dos inquiridos a responder nesse sentido, de acordo com um estudo da Meta, dona do Facebook, hoje divulgado.

Portugal destaca-se entre cerca de 200 países relativamente à preocupação com as mudanças climáticas, com 93% dos inquiridos a responder nesse sentido, de acordo com um estudo da Meta, dona do Facebook, hoje divulgado. O inquérito, dedicado às alterações climáticas, foi feito em parceria com a Universidade de Yale e realizado entre março e abril deste ano, envolvendo 100 mil utilizadores do Facebook em cerca de 200 países.

De acordo com a Meta, os inquiridos responderam a perguntas sobre o conhecimento e perceção em relação às alterações climáticas e “os resultados demonstram um cenário de profunda preocupação global com estas questões e um desejo de que os governos tenham atitudes mais significativas para combater as alterações climáticas”.

No inquérito, entre os cerca de 200 países, os utilizadores de Portugal destacaram-se em vários pontos, nomeadamente na preocupação com as alterações climáticas e os próximos 20 anos, considerando que o Governo deveria reduzir a poluição e, por fim, que o país deveria usar mais energia renovável.

México, Portugal e Chile são os que dizem estar “muito preocupados”

No que respeita à preocupação com as mudanças climáticas, o México (95% dos inquiridos), Portugal e Chile (ambos com 93%) são “os mais propensos a dizer que estão ‘muito preocupados’ ou ‘de alguma forma preocupados’ com as mudanças climáticas”, segundo a Meta.

Sobre as alterações climáticas serem uma ameaça nos próximos 20 anos, “os inquiridos no Malawi (93%), Portugal e México (ambos 92%) são os mais propícios a pensar que as alterações climáticas são uma ameaça ‘muito séria’ ou ‘de alguma forma séria’ para pessoas no seu país ou território nos próximos 20 anos”. Em termos de responsabilidade nacional para reduzir as alterações climáticas, os utilizadores da Austrália e em Portugal (65% ambos) são os mais propensos a pensar que o seu país ou território deve diminuir a poluição.

Relativamente ao aumento do uso de energia renovável, os entrevistados na Hungria (91%), Portugal e Espanha (ambos 89%) são os mais propensos a defender que o seu país deve usar “muito mais” ou “um pouco mais” este tipo de energia verde. “As pessoas apoiam o uso de mais energia renovável e menos combustíveis fósseis. Cerca de nove em cada 10 pessoas na Hungria, Portugal e Espanha acham que seu país deveria usar um pouco ou muito mais energia renovável”, destaca Nick Clegg, responsável de ‘global affairs’ da Meta, num artigo sobre o inquérito.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS