Pavilhão de países lusófonos em estreia na exposição da indústria turística em Macau

Os países de língua portuguesa vão contar, pela primeira vez, com um pavilhão da Lusofonia na Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, a decorrer entre 23 e 25 deste mês, foi hoje anunciado.

Pavilhão de países lusófonos em estreia na exposição da indústria turística em Macau

Pavilhão de países lusófonos em estreia na exposição da indústria turística em Macau

Os países de língua portuguesa vão contar, pela primeira vez, com um pavilhão da Lusofonia na Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, a decorrer entre 23 e 25 deste mês, foi hoje anunciado.

O objetivo é mostrar a “diversidade cultural” e desempenhar o papel da região como “plataforma entre a China e os países de língua portuguesa”, de acordo com um comunicado da Direção dos Serviços de Turismo.

No pavilhão estão presentes as “comunidades de diferentes países de língua portuguesa residentes em Macau, que trarão produtos artesanais, espetáculos com música e dança, e gastronomia caraterísticos destes países”, indicou.

Ao mesmo tempo, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) organiza também a participação de representantes locais de produtos alimentares dos países de língua portuguesa e empresas de Macau, enquanto o Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) estará, mais uma vez, presente neste certame, com uma sessão de apresentação de produtos turísticos dos países lusófonos.

Além da aposta em “oportunidades de negócio ‘online’ e em pessoa”, a expo vai incluir mais de 20 demonstrações culinárias “ao vivo de chefes de renome” de Chengdu, Shunde, Yangzhou, Huai’an, que integram, tal como Macau, a rede de Cidades Criativas de Gastronomia da UNESCO, de acordo com a mesma nota.

Outra estreia será a participação da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin (ilha da Montanha) para alargar a “cooperação turística entre Hengqin e Macau” e apresentar “o planeamento turístico e desenvolvimento de infraestruturas relacionadas” daquela zona.

O programa prevê a realização de “Fórum de Alto Nível sobre o Desenvolvimento do Turismo da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau 2022”, para debater como “aproveitar as oportunidades de desenvolvimento da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, integrar as vantagens culturais e turísticas de Hengqin e Macau, e impulsionar o desenvolvimento de Macau como um centro mundial de turismo e lazer”, acrescentou.

No 10.º aniversário desta exposição, vai participar, também pela primeira vez, a participação do Museu do Palácio de Pequim, com “mais de uma centena de produtos culturais e criativos característicos, nomeadamente da série de ‘Um Panorama dos Rios e das Montanhas'”, e convidar “especialistas em restauro de edifícios antigos” para demonstrações no local.

Durante o certame, vai estar em destaque Macau como destino de “turismo de casamento” para desenvolver a “economia de celebrações nupciais”, com a participação de mais de dez empresas de celebração de casamentos da China e de Macau, de acordo com o comunicado.

EJ // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS