Operadora de casinos de Macau Sands China perde 218 ME no último trimestre de 2021

A Sands China registou perdas líquidas de 245 milhões de dólares norte-americanos (218 milhões de euros) no último trimestre do ano passado, anunciou, na quarta-feira, a operadora de casinos de Macau.

Operadora de casinos de Macau Sands China perde 218 ME no último trimestre de 2021

Operadora de casinos de Macau Sands China perde 218 ME no último trimestre de 2021

A Sands China registou perdas líquidas de 245 milhões de dólares norte-americanos (218 milhões de euros) no último trimestre do ano passado, anunciou, na quarta-feira, a operadora de casinos de Macau.

Em relação a igual período de 2020, a empresa tinha registado um prejuízo de 246 milhões de dólares (219 milhões de euros, ao câmbio atual), indicou nos resultados comunicados à bolsa de valores de Hong Kong pela Las Vegas Sands Corporation.

No ano passado, a Sands China viu as receitas líquidas subirem 70,4% comparativamente a 2020, para 2,87 mil milhões de dólares (cerca de 2,6 mil milhões de euros), enquanto as perdas diminuíram em 2021, com 1,05 mil milhões de dólares (935 milhões de euros)contra 1,52 mil milhões de dólares (1,35 mil milhões de euros) em 2020.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) no último trimestre de 2021 foi de 74 milhões de dólares (66 milhões de euros) contra 47 milhões de dólares (42 milhões de euros) no período homólogo em 2020.

O presidente do conselho executivo da casa-mãe Las Vegas Sands Corp., Robert Goldstein, considerou que “os resultados continuam a refletir o impacto da pandemia” da covid-19, uma vez que as restrições de viagens continuam a “afetar o número de visitantes” em Macau. “Continuamos confiantes na eventual recuperação”, sublinhou.

Desde o início da pandemia, Macau registou 79 casos confirmados e mantém fortes restrições fronteiriças, definidas por uma política de ‘zero casos’ de covid-19.

As fronteiras estão abertas apenas a cidadãos chineses e residentes do território, sendo impostas quarentenas obrigatórias de diferente duração, consoante o local de proveniência.

Atualmente, quem chega ao território oriundo da cidade adjacente de Zhuhai deve apresentar um certificado negativo de teste de ácido nucleico, emitido 24 horas antes.

EJ // JMC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS