ONU: Comissão sobre Estatuto das Mulheres debate tomada de decisão

O tema prioritário da 65.ª sessão da Comissão sobre o Estatuto das Mulheres das Nações Unidas, que hoje arranca, em Nova Iorque, é a participação plena e efetiva das mulheres na tomada de decisão na vida pública.

ONU: Comissão sobre Estatuto das Mulheres debate tomada de decisão

ONU: Comissão sobre Estatuto das Mulheres debate tomada de decisão

O tema prioritário da 65.ª sessão da Comissão sobre o Estatuto das Mulheres das Nações Unidas, que hoje arranca, em Nova Iorque, é a participação plena e efetiva das mulheres na tomada de decisão na vida pública.

A eliminação da violência contra mulheres e a ligação entre o empoderamento feminino e o desenvolvimento sustentável também estarão na agenda da sessão, que decorre até dia 26 de março, desta vez num formato híbrido, com um número limitado de sessões presenciais, uma maioria de reuniões informais virtuais e algum trabalho por correspondência.

No quadro da CSW, a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (em curso até 30 de junho) vai organizar, a 16 março, uma reunião informal de ministros europeus sobre “O papel da liderança feminina e das políticas sensíveis ao género no contexto da recuperação da covid-19”.

A sessão da Comissão inclui ainda uma série de eventos paralelos, entre os quais um co-organizado pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, Comissão Europeia e Lobby Europeu de Mulheres.

Na iniciativa, a 17 de março, será debatido o tema “Igualdade de género e as consequências socioeconómicas da crise causada pela covid-19. Construir medidas de emergência e recuperação sensíveis ao género”.

Na informação sobre o evento facultada à Lusa pelo Ministério da Presidência, a escolha do tema é justificada com base no “impacto devastador” da pandemia [de covid-19] nas mulheres e no “aprofundamento da desigualdade de género” por ela causado.

A presidência portuguesa alerta ainda para o risco de agravamento da desigualdade entre mulheres e homens e mesmo de retrocesso nos progressos alcançados, “a não ser que a perspetiva de género seja totalmente embutida nas medidas de emergência a curto prazo e de recuperação a longo prazo”.

O evento paralelo contará com a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, a vice-presidente da Comissão Europeia Vera Jourová e a comissária europeia com a pasta da Igualdade, Helena Dalli, bem como com representantes do Instituto Europeu para a Igualdade de Género, da Organização Internacional do Trabalho, da ONU Mulheres e do Lobby Europeu de Mulheres.

Criada em 1946, a CSW integra o Conselho Económico e Social das Nações Unidas (ECOSOC) e é o órgão mundial de formulação de políticas dedicado exclusivamente à promoção da igualdade de género e à capacitação das mulheres.

A sua sessão anual de dez dias em março junta líderes políticos, investigadores, especialistas e ativistas para avaliar os progressos, identificar os desafios, fixar padrões e normas internacionais e formular políticas.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS