Novo navio da Cabo Verde Interilhas começa a operar em setembro

O novo navio da Cabo Verde Interilhas, que chegou ao país em julho, deverá começar a operar em setembro, após processo de certificação, passando a assegurar ligações regulares entre seis ilhas, informou hoje a transportadora marítima.

Novo navio da Cabo Verde Interilhas começa a operar em setembro

Novo navio da Cabo Verde Interilhas começa a operar em setembro

O novo navio da Cabo Verde Interilhas, que chegou ao país em julho, deverá começar a operar em setembro, após processo de certificação, passando a assegurar ligações regulares entre seis ilhas, informou hoje a transportadora marítima.

“O novo navio da CV Interilhas, Dona Tututa, encontra-se na fase final do processo de adaptação à bandeira de Cabo Verde, esperando-se que durante o mês de setembro inicie operações, promovendo as ligações regulares entre as ilhas de S. Vicente, Santo Antão, São Nicolau, Sal, Praia e Boavista”, afirmou a empresa em comunicado.

Concessionária do transporte marítimo em Cabo Verde, liderada pelo grupo português ETE, a CV Interilhas garantiu que está a cumprir todos os procedimentos relacionados com o navio, a fim de obter os certificados de gestão de segurança de navios de passageiros.

“Ainda que todas estas exigências se reflitam num processo moroso, são o reflexo do compromisso que a CV Interilhas tem para com os cabo-verdianos, garantindo toda a máxima segurança a bordo”, salientou a empresa, dizendo que está a reunir todos os esforços para o navio entrar em operações “com a maior brevidade possível”.

Com 69 metros de comprimento, o navio tem capacidade de atingir uma velocidade de 15 nós e capacidade para transportar cerca de 220 passageiros e 43 viaturas ou 11 atrelados de 15 metros.

O navio foi batizado com o nome da pianista cabo-verdiana Epifania de Freitas Silva Ramos Évora (1919–2014), conhecida como Dona Tututa.

O novo barco tem ainda capacidade para receber carga frigorífica, contribuindo para o escoamento de produtos frescos, sendo por isso visto pela empresa como “um forte contributo para a movimentação da economia nacional”.

Durante a apresentação do navio, em 10 de julho na cidade da Praia, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, disse que este chega “em boa hora”, para dar regularidade, previsibilidade e maior frequência, prevendo ligar as cinco ilhas em 24 horas.

Para o primeiro-ministro, a chegada na nova embarcação vai permitir aumentar as ligações e servir algumas linhas com necessidade de reforço, como São Nicolau e Boa Vista.

O Dona Tututa vai operar na rota São Vicente, São Nicolau, Sal, Boa Vista e Praia, esperando fazer a viagem em 24 horas

Antes de adquirido pela CV Interilhas, o navio navegava entre as diversas ilhas das Bahamas e a Florida (Estados Unidos) e chega a Cabo Verde depois da conclusão do processo de remodelação no estaleiro português Navaltagus (grupo ETE).

Desde agosto de 2019 que a CV Interilhas detém a concessão, por 20 anos, do transporte marítimo de passageiros e mercadorias entre as nove ilhas habitadas do arquipélago.

A empresa recorreu inicialmente a navios de armadores locais (acionistas da empresa, com uma participação de 49%), que antes asseguravam de forma isolada as ligações entre as ilhas.

Depois da aquisição do “Chiquinho BL”, que entrou ao serviço em fevereiro de 2020, este novo navio será o primeiro que é propriedade da concessionária, representando um investimento “à volta de quatro milhões de euros”, explicou o vice-presidente do grupo ETE – Cabo Verde, Jorge Maurício, em entrevista à Lusa, em abril.

RIPE // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS