Negócios nos serviços agravam quebra homóloga em janeiro para 16,7%

O volume de negócios nos serviços acentuou em janeiro a contração homóloga para 16,7%, face aos -12,8% do mês anterior, refletindo o agravamento das restrições à mobilidade devido à pandemia, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

Negócios nos serviços agravam quebra homóloga em janeiro para 16,7%

Negócios nos serviços agravam quebra homóloga em janeiro para 16,7%

O volume de negócios nos serviços acentuou em janeiro a contração homóloga para 16,7%, face aos -12,8% do mês anterior, refletindo o agravamento das restrições à mobilidade devido à pandemia, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

“O índice de volume de negócios nos serviços registou uma variação homóloga de -16,7% em janeiro, 3,9 pontos percentuais inferior à registada no mês anterior”, refere o INE, precisando que “os dados não ajustados de sazonalidade e de efeitos de calendário passaram de uma variação de -13,3% em dezembro para -19,2% no mês em análise”.

Refletindo também o agravamento das condicionantes impostas pela pandemia, em janeiro igualmente foi “mais intensa” a redução das horas trabalhadas, cuja variação passou de -11,0% em dezembro para -16,1%.

No primeiro mês de 2021, os índices de emprego e de remunerações apresentaram variações homólogas de -8,5% e -7,6%, respetivamente, mais próximas dos valores de dezembro (-8,4%, -6,3% respetivamente).

Segundo o INE, em janeiro todas as secções apresentaram variações homólogas negativas, mas destacaram-se os contributos “mais intensos” do ‘alojamento, restauração e similares’, ‘transportes e armazenagem’ e ‘comércio por grosso’.

O ‘alojamento, restauração e similares’ apresentou o maior contributo (-5,5 pontos percentuais), em resultado da diminuição homóloga de 57,0% (-43,9% em dezembro), com o ‘alojamento’ a registar uma redução de 78,3% (-64,9% no mês anterior) e a ‘restauração e similares’ a contrair 49,2% (-36,2% em dezembro).

Já os ‘transportes e armazenagem’ apresentaram um contributo de -4,2 pontos percentuais, tendo sido “a segunda secção que mais influenciou o resultado agregado” em resultado da variação registada de -30,5%, (-25,9% em dezembro).

Quanto ao ‘comércio por grosso, comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos’, diminuiu 6,7% (-4,0% no mês anterior), com o ‘comércio por grosso’ a recuar 3,9% (taxa inferior em 1,3 pontos percentuais à do período precedente) e o ‘comércio, manutenção e reparação de veículos automóveis e motociclos’ a registar uma quebra de 15,3% (-8,3% em dezembro).

Em termos mensais, em janeiro a variação do índice de volume de negócios foi -0,4% (0,9% em dezembro).

A variação mensal do índice de emprego passou de -1,2% em dezembro para -1,4% em janeiro, enquanto o índice de remunerações recuou 18,3% em janeiro face ao mês anterior e o de horas trabalhadas diminuiu 2,7%.

PD // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS