Mota-Engil assina contratos para ferrovias no México e Colômbia de 1.700 ME

A Mota-Engil assinou, em consórcio, dois contratos para ferrovias, um no México e outro na Colômbia, avaliados em cerca de 1.700 ME e reviu as perspetivas do seu volume de negócios para este ano, indicou, num comunicado ao mercado.

Mota-Engil assina contratos para ferrovias no México e Colômbia de 1.700 ME

Mota-Engil assina contratos para ferrovias no México e Colômbia de 1.700 ME

A Mota-Engil assinou, em consórcio, dois contratos para ferrovias, um no México e outro na Colômbia, avaliados em cerca de 1.700 ME e reviu as perspetivas do seu volume de negócios para este ano, indicou, num comunicado ao mercado.

Na nota, divulgada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo referiu que “em consórcio, assinou um contrato de ferrovia em regime de Parceria Público Privada (PPP) com pagamentos de disponibilidade indexados à inflação de 1,2 mil milhões de euros ao longo de 38 anos no México e um contrato de construção de uma ferrovia na Colômbia no montante de 450 milhões de euros”.

O grupo detalhou que “o contrato mexicano de ferrovia em regime de PPP inclui o projeto, a construção, o material rolante e o financiamento do sistema de metropolitano elétrico de transporte coletivo urbano da Linha 4 do Metro de Guadalajara com uma extensão aproximada de 21 km [quilómetros] e oito estações”.

Segundo a empresa, neste caso, “após o período de construção, o consórcio será o responsável único pela operação do sistema de cobrança de tarifas”, sendo que “os pagamentos de disponibilidade encontram-se indexados à inflação e não apresentam risco de procura”.

O grupo indicou ainda que “este projeto deverá servir inicialmente cerca de 117.000 passageiros diários, que crescerão para 230.000, ligando Guadalajara e Tlajomulco de Zúñiga na parte sul da área metropolitana de Guadalajara”, recordando que “este projeto será o terceiro que a Mota-Engil irá executar na rede de metropolitano de Guadalajara”.

Por outro lado, “o contrato colombiano de construção de uma ferrovia inclui o projeto, a construção e o fornecimento de locomotivas para o “Metro de la 80″ de Medellín com 13 km de extensão, 17 estações e capacidade para 179.400 passageiros diários”, sendo que “o preço da componente de construção será ajustado de acordo com a inflação local”, esclareceu o grupo.

O grupo realçou que “a adjudicação destes dois projetos reflete a estratégia vencedora da Mota-Engil em consolidar a sua presença como um dos principais ‘players’ no setor ferroviário na América Latina”, acrescentando que, “com a atribuição destes projetos, a Mota-Engil irá desenvolver três importantes projetos de mobilidade urbana (incluindo a linha 4, 5 e 6 do metro ligeiro de Monterrey) em três das 50 principais cidades da América Latina”.

Neste momento, a construtora “encontra-se a executar oito projetos de construção de ferrovia na América Latina, seis no México, um na Colômbia e um no Panamá, totalizando cerca de 657 km, dos quais 347 km correspondem a construção nova e 310 km a reabilitação”.

De acordo com a Mota-Engil, foram ainda “recentemente assinados novos contratos de menor valor noutras regiões, o que, conjuntamente com os restantes projetos divulgados durante o ano, permitem nesta data assegurar que o Grupo irá manter a sua carteira de encomendas em níveis ‘record’ suportando o crescimento do volume de negócios que (ultrapassando as perspetivas apresentadas no relatório e contas do 1.º semestre para o final do ano corrente) deverá superar os 30% com a consequente consolidação dos principais indicadores financeiros” da Mota-Engil.

ALYN // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS