Ministro das Finanças ouvido hoje no parlamento sobre Novo Banco

Mário Centeno é hoje ouvido no parlamento sobre a situação do Novo Banco, que pediu 1.149 milhões de euros ao Fundo de Resolução depois dos prejuízos de 1.412 milhões registados em 2018.

Ministro das Finanças ouvido hoje no parlamento sobre Novo Banco

Ministro das Finanças ouvido hoje no parlamento sobre Novo Banco

Mário Centeno é hoje ouvido no parlamento sobre a situação do Novo Banco, que pediu 1.149 milhões de euros ao Fundo de Resolução depois dos prejuízos de 1.412 milhões registados em 2018.

Lisboa, 07 mar (Lusa) – O ministro das Finanças, Mário Centeno, é hoje ouvido no parlamento sobre a situação do Novo Banco, que pediu 1.149 milhões de euros ao Fundo de Resolução na sequência dos prejuízos de 1.412 milhões registados em 2018.

A audição de hoje, que foi requerida pelo PSD e aprovada por unanimidade, vai ocorrer na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA), depois do debate quinzenal na Assembleia da República.

Além de Mário Centeno, os deputados da COFMA aprovaram também a audição de vários representantes de outras entidades para que possam prestar esclarecimentos sobre o novo pedido feito ao Fundo de Resolução para injetar 1.149 milhões de euros no banco.

No requerimento do PSD está também prevista a audição aos presidentes do Fundo de Resolução, do Novo Banco e da Comissão de Acompanhamento designada no contrato de venda à Lone Star.

Na sexta-feira, o Novo Banco informou ter registado prejuízos de 1.412 milhões de euros em 2018 e, na mesma ocasião, anunciou a intenção de solicitar ao Fundo de Resolução nova injeção de 1.149 milhões de euros para se recapitalizar, ao abrigo do mecanismo negociado aquando da venda ao fundo norte-americano Lone Star, em outubro de 2017.

Na sequência do novo pedido, o Ministério das Finanças anunciou a realização de uma auditoria para escrutinar o processo de concessão dos créditos incluídos no mecanismo de capital contingente.

O Fundo de Resolução também anunciou que vai recorrer ao empréstimo acordado com o Estado, com o limite anual de 850 milhões de euros, para pagar ao Novo Banco, pendente de certificação legal das contas do banco e de verificação independente do valor a pagar pelo Fundo.

O valor de 1.149 milhões de euros soma-se à injeção de 792 milhões já registada para fazer face a perdas de 2017, e fica bem acima dos 400 milhões de euros que Centeno tinha indicado que estavam incluídos no défice previsto para 2019.

O Ministério das Finanças disse na terça-feira à Lusa que a recapitalização do Novo Banco não deverá pôr em risco a meta do défice de 2019 (0,2%), já que o montante não está fechado e que o défice beneficiará do saldo de 2018 e da receita do BPP.

As Finanças afirmaram que o valor que o Fundo de Resolução porá no Novo Banco “poderá ser inferior” aos 1.149 milhões de euros pedidos pelo banco, recordando que esse montante “carece ainda de validação pela Comissão de Acompanhamento e pelo Agente de Verificação, como previsto nos mecanismos contratuais definidos no âmbito do Acordo-Quadro celebrado”.

JE (ECR/LT/IM) // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS