Metro do Porto autorizada a tomar a posse de imóveis para construir Linha Rosa

O Governo autorizou a Metro do Porto a tomar a posse administrativa de 29 imóveis necessários para construir a Linha Rosa, entre a Praça da Liberdade e a Casa da Música, foi hoje publicado no Diário da República (DR).

Metro do Porto autorizada a tomar a posse de imóveis para construir Linha Rosa

Metro do Porto autorizada a tomar a posse de imóveis para construir Linha Rosa

O Governo autorizou a Metro do Porto a tomar a posse administrativa de 29 imóveis necessários para construir a Linha Rosa, entre a Praça da Liberdade e a Casa da Música, foi hoje publicado no Diário da República (DR).

O despacho do secretário de Estado da Mobilidade dá luz verde à empresa através da “declaração de utilidade pública, com caráter de urgência, da expropriação dos bens imóveis, e direitos a eles inerentes”, necessários à expansão da rede de Metro do Porto naquele troço.

Ao todo, de acordo com a descrição feita em DR, são 29 frações, nas ruas Miguel Bombarda, General Norton de Matos e de Pedro Hispano (26 registos prediais, relativos aos números 818, 838 e 844 da artéria).

O documento esclarece que “nos prédios discriminados se prevê a construção do referido sistema de metro” algo que “é de manifesto interesse público”.

De acordo com o DR, “no programa de trabalhos previsto estipula-se que as obras se iniciem após o termo do processo de concurso já lançado, previsto para agosto de 2020, e tais obras pressupõem a posse dos bens a expropriar”.

“A urgência do processo de declaração de utilidade pública que ora se requer é justificada pela necessidade de cumprir os prazos fixados para concretização da referida empreitada, pelo que se torna imprescindível a tempestiva disponibilidade dos terrenos por ela abrangidos e, como tal, dar início ao processo expropriativo dos imóveis e direitos a eles inerentes, necessários à sua execução”, descreve a tutela.

Está previsto que esta obra decorra ao mesmo tempo que a do prolongamento da linha Amarela do Metro em Vila Nova de Gaia até Vila d’ Este, num valor global de 365 milhões de euros.

O concurso da linha Rosa foi lançado com o valor base de 235 milhões de euros.

As novas linhas do Metro do Porto vão acrescentar seis quilómetros e 10 milhões de novos clientes à rede.

No início de abril de 2020, quando foram lançados os concursos para as duas obras, o ministro do Ambiente apontou para três anos, em 2022, o prazo de conclusão das empreitadas.

O Metro do Porto opera atualmente em sete concelhos da Área Metropolitana do Porto através de uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, tendo em 2019 ultrapassado os 71 milhões de clientes, de acordo com dados da empresa.

 

ACG // JAP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS