Mais de metade dos clientes particulares não sabe ‘ler’ fatura da luz, segundo um estudo

Mais de metade dos clientes particulares (57,8%) não sabe interpretar as faturas da luz, no que respeita a identificação das principais rubricas e itens presentes no documento, revelou um estudo do regulador da energia, hoje divulgado.

Mais de metade dos clientes particulares não sabe 'ler' fatura da luz, segundo um estudo

Mais de metade dos clientes particulares não sabe ‘ler’ fatura da luz, segundo um estudo

Mais de metade dos clientes particulares (57,8%) não sabe interpretar as faturas da luz, no que respeita a identificação das principais rubricas e itens presentes no documento, revelou um estudo do regulador da energia, hoje divulgado.

Mais de metade dos clientes particulares (57,8%) não sabe interpretar as faturas da luz, no que respeita a identificação das principais rubricas e itens presentes no documento, revelou um estudo do regulador da energia, hoje divulgado.

De acordo com o estudo de literacia dos consumidores na área da energia, promovido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), através da consultora Qmetrics, no critério de compreensão das faturas, “no que toca às principais rubricas ou itens presentes na fatura da eletricidade, só 42,2% dos particulares e 54,8% dos empresariais sabem identificá-los”.

O estudo tem como objetivo “melhor compreender o nível global de literacia dos consumidores particulares e empresariais” e, para isso, foi criado um índice de literacia, que varia entre 0 e 100 de acordo com o conhecimento dos consumidores sobre o setor energético.

Assim, depois de 812 entrevistas telefónicas – 405 a consumidores particulares e 407 entrevistas a consumidores empresariais — e da análise das respostas, concluiu-se que o nível de literacia dos consumidores de energia se situa entre 42,8%, para os particulares, e 49,7%, para os empresariais.

Os dados recolhidos revelaram também que 64,4% dos consumidores particulares conhece a existência de um mercado regulado e de um mercado liberalizado de eletricidade e, no caso dos empresariais, aquele valor ascende a 80,5%.

No entanto, a maioria dos consumidores tem dificuldades em distinguir produtores, distribuidores e comercializadores de eletricidade, não conseguindo, do mesmo modo, identificar corretamente as empresas do grupo EDP, por áreas de atividade.

Relativamente ao autoconsumo de energia, 88,9% dos particulares e 90,9% dos empresariais disseram ter conhecimento sobre a possibilidade de produzirem energia para consumo próprio.

Quanto às fontes de energia, 74,1% dos particulares e 74,4% dos empresariais apontou as barragens como a principal forma de produção, seguida da energia eólica (67,8% dos particulares e 63,9% dos empresariais).

Já em relação à eficiência energética, o estudo mostra que cerca de 45% das empresas entrevistadas afirmaram terem implementado medidas de eficiência energética nos últimos três anos, com a alteração de lâmpadas para LED a ser a medida mais apontada (69,8%).

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS