Mais de 80 mil desempregados em Portugal encontraram trabalho no 1.º trimestre

Cerca de 88 mil desempregados em Portugal encontraram trabalho nos primeiros três meses deste ano, contra 85 mil pessoas que perderam o emprego neste período face ao último trimestre de 2018, revelou hoje o gabinete estatístico comunitário.

Mais de 80 mil desempregados em Portugal encontraram trabalho no 1.º trimestre

Mais de 80 mil desempregados em Portugal encontraram trabalho no 1.º trimestre

Cerca de 88 mil desempregados em Portugal encontraram trabalho nos primeiros três meses deste ano, contra 85 mil pessoas que perderam o emprego neste período face ao último trimestre de 2018, revelou hoje o gabinete estatístico comunitário.

De acordo com dados hoje divulgados pelo Eurostat, no primeiro trimestre deste ano, existiam quase 4,6 milhões de pessoas empregadas em Portugal, enquanto 193 mil estavam desempregadas e outras 2,4 milhões estavam em situação de inatividade económica.

Em comparação com o trimestre anterior (últimos três meses de 2018), foram 88 mil as pessoas desempregadas que passaram a ter emprego nos primeiros três meses de 2019, enquanto outras 85 mil perderam o trabalho e passaram para situação de desemprego.

Por seu lado, 132 mil pessoas deixaram de estar empregadas e passaram para uma situação de inatividade económica, aponta o gabinete de estatística da União Europeia (UE).

Outras 128 mil pessoas em Portugal deixaram de estar inativas e encontraram trabalho.

Em toda a UE (sem contar com a Alemanha, que não entrou para estas estatísticas) foram 2,6 milhões os desempregados que encontraram emprego entre o final de 2018 e o início deste ano, equivalente a 17,7%.

No primeiro trimestre deste ano, nove milhões de cidadãos europeus (60,2%) continuavam desempregados, enquanto 3,3 milhões se tornaram economicamente inativos.

Dos que estavam empregados no último trimestre do ano passado, 2,6 milhões de pessoas (1,4%) ficaram desempregadas entre janeiro e março deste ano, enquanto quatro milhões (2,1%) passaram para situação de inatividade económica.

Por seu turno, dos que eram considerados inativos em termos económicos, três milhões (2,6%) passaram a ter emprego no primeiro trimestre de 2019 e 3,6 milhões (3,2%) ficaram desempregados.

Estes dados são referentes a flutuações em cadeia no mercado de trabalho e não são ajustados aos efeitos do calendário.

ANE // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS