João Castello Branco renuncia à presidência executiva da Semapa e é substituído por Ricardo Pires

O presidente da Comissão Executiva da Semapa, João Castello Branco, renunciou ao cargo, com efeito a partir de 31 de dezembro, e será substituído por Ricardo Pires, segundo um comunicado publicado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

João Castello Branco renuncia à presidência executiva da Semapa e é substituído por Ricardo Pires

João Castello Branco renuncia à presidência executiva da Semapa e é substituído por Ricardo Pires

O presidente da Comissão Executiva da Semapa, João Castello Branco, renunciou ao cargo, com efeito a partir de 31 de dezembro, e será substituído por Ricardo Pires, segundo um comunicado publicado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

O grupo explicou que “João Castello Branco, administrador e Presidente da Comissão Executiva” da “sociedade, a informou do seu sentimento de que, decorridos dois mandatos desde a sua junção ao Grupo como presidente da Comissão Executiva, considera que já se encontram cumpridos os objetivos definidos aquando da sua eleição para tal cargo e criadas as condições para a sua sucessão na liderança”.

Por isso, “pretende cessar as suas funções como administrador e Presidente da Comissão Executiva da sociedade no final do presente mandato, tendo apresentado a renúncia a tal cargo, com efeito no próximo dia 31 de dezembro”.

Consequentemente, “o Conselho de Administração designou o administrador executivo Senhor Dr. Ricardo Pires para exercer as funções de Presidente da Comissão Executiva da Semapa, a partir de 1 de janeiro de 2022”.

Ricardo Pires assume também a presidência do Conselho de Administração da Navigator, detida pela Semapa, segundo outra nota publicada na CMVM.

Os lucros atribuíveis a acionistas da Semapa aumentaram, nos primeiros nove meses do ano, para 122,2 milhões de euros, um crescimento de 68% em relação ao período homólogo, segundo um comunicado divulgado na quinta-feira.

De acordo com a empresa, “este crescimento resultou de uma evolução favorável do EBITDA [resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações] (+38,7 milhões de euros) conjugada com uma melhoria nos resultados financeiros (+20,9 milhões de euros) decorrente dos menores efeitos cambiais negativos na Secil (real brasileiro)”, bem como de “uma redução das depreciações, amortizações e perdas por imparidade e provisões (+24,5 milhões de euros)”, tendo ainda sido “negativamente influenciado pela função fiscal (-21,5 milhões de euros)”.

No comunicado, a empresa revela que o “volume de negócios consolidado do grupo Semapa nos primeiros nove meses de 2021 foi de 1.515,3 milhões de euros (+4,7%, face ao período homólogo)”, sendo que, destes, 1.119,6 milhões de euros foram gerados na pasta e papel / Navigator (+7,3%), “366,7 milhões de euros no cimento / Secil (-3,5%), e 29,1 milhões de euros no ambiente / ETSA (+24,4%)”.

ALYN // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS