Investimento das empresas cresce 4,7% em 2018 e deverá subir 3,7% este ano

O investimento empresarial deverá aumentar nominalmente 3,7% em 2019, depois de ter registado crescimento nominal de 4,7% em 2018, anunciou hoje o INE, com base em inquérito de abril.

Investimento das empresas cresce 4,7% em 2018 e deverá subir 3,7% este ano

Investimento das empresas cresce 4,7% em 2018 e deverá subir 3,7% este ano

O investimento empresarial deverá aumentar nominalmente 3,7% em 2019, depois de ter registado crescimento nominal de 4,7% em 2018, anunciou hoje o INE, com base em inquérito de abril.

Lisboa 09 jul 2019 (Lusa) – O investimento empresarial deverá aumentar nominalmente 3,7% em 2019, depois de ter registado um crescimento nominal de 4,7% em 2018, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), com base no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril.

Com base no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril deste ano, o INE refere que o aumento do investimento das empresas em 2019 (3,7%) foi revisto em baixa, tendo em conta a estimativa de 4,4% no inquérito de outubro de 2018, e que o crescimento em 2018 foi revisto em alta, tendo em consideração o resultado apurado no inquérito de outubro (1,9%).

O Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril, com período de inquirição entre 01 de abril e 25 de junho de 2019, indica ainda que entre os objetivos do investimento, perspetiva-se, entre 2018 e 2019, um aumento do peso relativo do investimento orientado para a racionalização e restruturação e para a extensão da capacidade de produção, com a consequente diminuição da importância relativa do investimento para outras finalidades e de substituição, continuando este último a ser, no entanto, o objetivo mais referido.

O INE indica também que “o principal fator limitativo do investimento empresarial identificado pelas empresas em 2018 e 2019 foi a deterioração das perspetivas de venda, seguindo-se, em ambos os anos, a incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos”.

Entre 2018 e 2019 prevê-se um aumento do peso relativo da deterioração das perspetivas de venda e uma redução do peso relativo da insuficiência da capacidade de autofinanciamento, indica ainda o INE.

MC // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS