Interesse nos carros elétricos dispara com crise dos combustíveis

A crise dos combustíveis fez disparar o interesse em carros elétricos, principalmente no Reino Unido, de acordo com a Associação de Produtores e Comerciantes do Setor Automóvel.

Interesse nos carros elétricos dispara com crise dos combustíveis

Interesse nos carros elétricos dispara com crise dos combustíveis

A crise dos combustíveis fez disparar o interesse em carros elétricos, principalmente no Reino Unido, de acordo com a Associação de Produtores e Comerciantes do Setor Automóvel.

A crise dos combustíveis – tanto no preço, em Portugal, quanto no abastecimento, no Reino Unido, fez disparar o interesse em carros elétricos, de acordo com a Associação de Produtores e Comerciantes do Setor Automóvel. “Setembro foi o melhor mês de sempre em termos de vendas de veículos elétricos. Na verdade, vendemos em setembro tantos veículos elétricos como em todo o ano anterior”, revelou o presidente executivo, Mike Hawes, numa conferência de imprensa.

LEIA DEPOIS
Zero pede que carros novos vendidos em Portugal sejam 100% elétricos a partir de 2035

Hawes reiterou a necessidade de investimentos significativos em infraestrutura pública, principalmente para quem não tem estacionamento particular com ponto de carregamento dedicado.  “Precisamos de ajudar todos os consumidores a fazer essa transição”, argumentou. O presidente da SMMT admitiu que os países mais desenvolvidos, como o Reino Unido, terão de avançar mais rapidamente para a eletrificação do transporte e fim dos motores de combustão, tendo em conta as metas para a redução das emissões de gases com efeito de estufa.

“Estamos cientes do facto de que os mercados avançam a ritmos diferentes, mas a indústria mundial comprometeu-se a aumentar a ‘descarbonização’ entre o final dos anos 2030 e 2040”, disse. Mais de 80% dos automóveis construídos no Reino Unido são destinados à exportação, representando cerca de 11% de todos os bens manufaturados exportados pelo país, e as vendas de carros elétricos na Europa duplicaram em 2020, enquanto as de veículos híbridos recarregáveis triplicaram, de acordo com os números publicados pela Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis.

Venda de carros elétricos atinge mais de meio milhão num ano

No ano passado, venderam-se 538.772 viaturas elétricas, além de 507.059 híbridos, com um claro aumento das vendas no quarto trimestre. Num ano em que a venda de automóveis na Europa registou uma queda sem precedentes (23.7%), devido à pandemia, a venda de veículos elétricos e híbridos ultrapassou pela primeira vez a de carros movidos a gasóleo no quatro trimestre, com mais de 900 mil viaturas vendidas.

“Após o efeito sem precedentes da covid-19 na venda de automóveis, as medidas governamentais para estimular a procura têm sido dirigidas principalmente para os automóveis com energias alternativas, acelerando a procura de veículos com baixas emissões”, disse a ACEA, em comunicado. Em particular, a Alemanha, Itália e França viram as suas vendas de automóveis elétricos disparar.

LEIA TAMBÉM
Portugal com a quinta maior percentagem de venda de veículos elétricos da Europa

No quarto trimestre, a venda de veículos a gasolina caiu 33.7%, para 1.2 milhões de unidades (40.6% de quota de mercado), e a de veículos a gasóleo baixou 23%, para 731 mil unidades (24.5% do mercado). Em 2020, a venda de carros elétricos aumentou 216.9%, para 248 mil unidades, a de híbridos recarregáveis 331%, para 227 mil unidades, enquanto os híbridos não recarregáveis cresceram 104.7%, para 43 mil unidades. A procura de veículos com outras energias (GPL, E85 e gás natural) subiu 19.6%, para 70 mil unidades. Durante todo o ano de 2020, os carros a gasolina representaram 47% das vendas, gasóleo 28%, híbridos 11.9%, híbridos elétricos e recarregáveis 10.5% e outras energias 2.1%.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS