Inquérito/CGD: Vítor Constâncio defende-se das “calúnias” de que diz ser vítima

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio defendeu-se hoje das “calúnias” de que diz ter sido vítima durante os últimos dias, dizendo que foram propagadas “falsidades” sobre o seu papel no crédito a Berardo.

Inquérito/CGD: Vítor Constâncio defende-se das

Inquérito/CGD: Vítor Constâncio defende-se das “calúnias” de que diz ser vítima

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio defendeu-se hoje das “calúnias” de que diz ter sido vítima durante os últimos dias, dizendo que foram propagadas “falsidades” sobre o seu papel no crédito a Berardo.

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio defendeu-se hoje das “calúnias” de que diz ter sido vítima durante os últimos dias, dizendo que foram propagadas “falsidades” sobre o seu papel no crédito a Berardo. “Presumo que o meu regresso resulte dos textos e notícias publicadas”, disse Vítor Constâncio na intervenção inicial na sua segunda audição na comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Vítor Constâncio diz que as notícias “são calúnias” que dizem respeito ao seu papel no empréstimo da CGD à Fundação José Berardo, e contestou que estivesse relacionado com a “atenção mediática sobre a luta de poder no BCP”.

Para o ex-governador do BdP, “não havia quaisquer razões legais para decidir” pela oposição à participação qualificada da Fundação Berardo no BCP, pelo que “as calúnias (…) só puderam ser credíveis com base num desconhecimento de como funciona” o BdP.

 

 

LEIA MAIS

Previsão do tempo para quarta-feira, 19 de junho

Draghi promete estímulos adicionais para garantir estabilidade de preços

Impala Instagram


RELACIONADOS