Indicador diário aponta para redução da atividade económica – BdP

O indicador diário de atividade económica, que retrata a evolução da economia portuguesa, aponta, na semana terminada em 20 de março, para uma redução da atividade económica.

Indicador diário aponta para redução da atividade económica - BdP

Indicador diário aponta para redução da atividade económica – BdP

O indicador diário de atividade económica, que retrata a evolução da economia portuguesa, aponta, na semana terminada em 20 de março, para uma redução da atividade económica.

Redação, 24 mar 2022 (Lusa) – O indicador diário de atividade económica, que retrata em tempo quase real a evolução da economia portuguesa, aponta, na semana terminada em 20 de março, para uma redução da atividade económica face à semana anterior, informou hoje o BdP.

“Na semana terminada a 20 de março, o indicador diário de atividade económica (DEI) aponta para uma taxa de variação homóloga da atividade inferior à observada na semana anterior”, refere o Banco de Portugal (BdP) em comunicado.

Já quanto à taxa de variação trienal (corresponde a acumular as taxas de variação, em dias homólogos, para três anos consecutivos), essa “diminuiu no mesmo período”, acrescenta o banco central.

O DEI é um indicador lançado pelo BdP para identificar alterações abruptas na atividade económica, mas não constitui uma previsão oficial do Banco de Portugal ou do Eurosistema.

Divulgado semanalmente à quinta-feira, com informação até ao domingo precedente, o DEI cobre diversas dimensões correlacionadas com a atividade económica em Portugal, sumariando a informação das seguintes variáveis diárias: tráfego rodoviário de veículos comerciais pesados nas autoestradas, consumo de eletricidade e de gás natural, carga e correio desembarcados nos aeroportos nacionais e compras efetuadas com cartões em Portugal por residentes e não residentes.

Conforme explica o BdP, a utilização deste tipo de dados de alta frequência “intensificou-se na sequência da crise desencadeada pela pandemia de covid-19”, já que, dado o “curto desfasamento” da sua divulgação face ao período de referência, permitem “identificar atempadamente alterações bruscas na atividade económica”.

O DEI é normalizado de tal forma que a sua média trimestral tenha a mesma média e desvio-padrão da taxa de variação homóloga trimestral do Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos anos e, além do indicador diário, também se apresenta a média móvel centrada de sete dias numa frequência diária por forma a mitigar alguma irregularidade presente nas séries diárias.

Uma vez que a evolução recente do DEI se encontra “fortemente influenciada por efeitos base decorrentes dos eventos verificados durante 2020 e 2021, o que afeta de forma significativa a evolução homóloga da atividade em 2021 e 2022”, o banco central divulga também a evolução da taxa trienal, de forma a mitigar a influência destes efeitos base acumulando a variação, em dias homólogos, para um período de três anos.

IM // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS