Greve dos maquinistas da CP suprimiu 678 comboios até às 18:00

A CP — Comboios de Portugal suprimiu 678 comboios dos 979 programados até às 18:00, devido à greve dos maquinistas que decorre na empresa, segundo fonte oficial da transportadora.

Greve dos maquinistas da CP suprimiu 678 comboios até às 18:00

Greve dos maquinistas da CP suprimiu 678 comboios até às 18:00

A CP — Comboios de Portugal suprimiu 678 comboios dos 979 programados até às 18:00, devido à greve dos maquinistas que decorre na empresa, segundo fonte oficial da transportadora.

Assim, entre as 00:00 e as 18:00 de hoje “circularam 301 comboios, a nível nacional. Estavam programados 979, foram suprimidos 678”, indicou a mesma fonte, referindo que estão a ser cumpridos os serviços mínimos.

Em declarações à Lusa a propósito destes números, o presidente do Sindicato Nacional dos Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ), António Domingues, alertou que na sexta de manhã “ainda poderá haver constrangimentos”.

“A partir do momento em que foram decretados serviços mínimos a nossa expectativa é que apenas esses comboios circulassem e foi isso que aconteceu”, destacou.

António Domingues disse ainda que os trabalhadores aguardam agora “desenvolvimentos” por parte da tutela financeira, mas disse que para já não havia nenhum contacto da CP para negociações.

Os trabalhadores das categorias representadas SMAQ cumprem hoje o segundo e último dia de uma greve total, que termina às 23:59.

Na segunda-feira, os maquinistas iniciaram uma greve ao trabalho extraordinário e em dias de descanso, que se prolongará até às 23:59 de domingo.

O protesto do SMAQ pretende reclamar melhores condições de trabalho e aumentos salariais.

O sindicato reivindica a “melhoria das condições de trabalho nas cabines de condução e instalações sociais” e das “condições de segurança nas linhas e parques de resguardo do material motor”.

O SMAQ exige também a “humanização das escalas de serviço, horas de refeição enquadradas e redução dos repousos fora da sede”, a “implementação de um efetivo protocolo de acompanhamento psicológico aos maquinistas em caso de colhida de pessoas na via e acidentes”, o “reconhecimento e valorização das exigências profissionais e de formação dos maquinistas pelo novo quadro legislativo” e o cumprimento integral do acordo de empresa.

O sindicato pretende ainda o “reconhecimento de categoria superior aos associados do SMAQ que desempenham/desempenharam serviço em órgãos de acompanhamento de tráfego” e manifesta-se “contra a absurda discriminação das categorias operacionais em matéria de tolerâncias de ponto na quadra festiva”.

Para quarta-feira e hoje foram definidos serviços mínimos para serviços Alfa Pendular e Intercidades, Regional, InterRegional e Internacional, Comboios Urbanos do Porto e de Coimbra e Comboios Urbanos de Lisboa, destacou ainda.

 

ALYN (MPE/DD) // JNM

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS