FMI prevê aumento continuado do peso da dívida pública das grandes economias

As duas principais economias do mundo, os Estados Unidos e a China, irão continuar a aumentar progressivamente o nível de endividamento público até 2027, de acordo com o relatório divulgado hoje pelo Fundo Monetário Internacional.

FMI prevê aumento continuado do peso da dívida pública das grandes economias

FMI prevê aumento continuado do peso da dívida pública das grandes economias

As duas principais economias do mundo, os Estados Unidos e a China, irão continuar a aumentar progressivamente o nível de endividamento público até 2027, de acordo com o relatório divulgado hoje pelo Fundo Monetário Internacional.

No relatório “Monitor Orçamental”, o FMI estima que, este ano, a principal economia do mundo terá atingido, e superado, o nível de endividamento que registou durante 2020, no pior momento da pandemia de covid-19, quando subiu para 134,5% do PIB Interno Bruto (PIB).

Até 2027, de acordo com a instituição, a dívida pública dos EUA terá subido para 134,9% do PIB, após recuar para 122,1% em 2022, e aumentando progressivamente durante 2023 (122,9%), 2024 (126%), 2025 (129,4%) e 2026 (132,2%).

No caso da China, prevê que a dívida pública terá atingido 102,8% do PIB até 2027, quase 35 pontos percentuais a mais que os 68,1% registados em 2020.

No caso dos Estados Unidos, o FMI espera que o défice orçamental aumente nos próximos anos, mas sem ultrapassar os níveis de 2020 e 2021.

A instituição calcula que, até ao final de 2022, o défice da maior economia do mundo será de 4%, um nível semelhante aos registados antes da pandemia.

O rácio continuará a aumentar, no entanto, e poderá atingir 7,4% do PIB em 2025, antes de moderar para 7,1% em 2027.

A China, por outro lado, irá reduzir ligeiramente o défice, que irá continuar estável em torno de 7,1% até 2027, após atingir 8,9% em 2022.

AAT // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS