Fitch Solutions prevê juros em Moçambique nos 15,75% este ano e 16,75% em 2023

A consultora Fitch Solutions prevê que o banco central de Moçambique suba a taxa de juro para 15,75% este ano e 16,75% em 2023, combatendo a subida da inflação num contexto de aceleração económica.

Fitch Solutions prevê juros em Moçambique nos 15,75% este ano e 16,75% em 2023

Fitch Solutions prevê juros em Moçambique nos 15,75% este ano e 16,75% em 2023

A consultora Fitch Solutions prevê que o banco central de Moçambique suba a taxa de juro para 15,75% este ano e 16,75% em 2023, combatendo a subida da inflação num contexto de aceleração económica.

“Na Fitch Solutions, antevemos que o Banco de Moçambique suba a taxa de juro num total de 250 pontos base, para 15,75% em 2022”, lê-se numa análise à política monetária do país, na qual se prevê também que a subida dos juros se mantenha em 2023, para terminar o próximo ano nos 16,75%.

De acordo com a nota enviada aos clientes e a que a Lusa teve acesso, esta consultora detida pelos mesmos donos da agência de notação financeira Fitch Ratings, Moçambique deverá registar um crescimento económico de 5,3%, acima da média de 4% registada nos anos anteriores à pandemia.

“O forte crescimento económico de Moçambique vai dar margem ao banco central para o aumento das taxas de juro este ano; antevemos que o PIB cresça 5,3% este ano, sustentado nos investimentos e na produção do setor do gás, e acima da média de 4% registada nos cinco anos anteriores à pandemia”, escrevem os analistas.

O Comité de Política Monetária do Banco de Moçambique fez a sua última reunião a 19 de maio e decidiu manter a taxa de juro de política monetária (taxa MIMO) em 15,25%.

“Esta decisão é sustentada pelas perspetivas de manutenção da inflação em um dígito [abaixo de 10%] no médio prazo, não obstante os elevados riscos e incertezas associados à estas projeções”, nomeadamente com a guerra na Ucrânia, justificou então.

Em abril, a inflação anual “acelerou para 7,9%, contra 6,7% em março, a refletir o aumento dos preços dos combustíveis e dos bens alimentares”. 

“A inflação subjacente, que exclui os preços dos bens e serviços administrados e das frutas e vegetais, e que é impactada pela política monetária, mantém-se estável”, ou seja, “para o médio prazo, antevê-se a manutenção da inflação em um dígito, favorecida, em parte, pela estabilidade do metical”, moeda moçambicana. 

Por outro lado, “mantêm-se as perspetivas de crescimento económico para 2022 e 2023”, com o Produto Interno Bruto (PIB) a crescer 4,1% no primeiro trimestre de 2022 e com o Fundo Monetário Internacional a estimar um crescimento de 3,8% este ano e 5% em 2023.

A próxima reunião ordinária do Comité de Política Monetária do Banco de Moçambique está agendada para 27 de julho

MBA (LFO) // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS