Exportações, importações e reexportações voltam a aumentar em Cabo Verde

As exportações, importações e reexportações em Cabo Verde aumentaram no segundo trimestre do ano, face ao período homólogo, e depois de diminuições generalizadas no primeiro trimestre, segundo dados publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Exportações, importações e reexportações voltam a aumentar em Cabo Verde

Exportações, importações e reexportações voltam a aumentar em Cabo Verde

As exportações, importações e reexportações em Cabo Verde aumentaram no segundo trimestre do ano, face ao período homólogo, e depois de diminuições generalizadas no primeiro trimestre, segundo dados publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

De acordo com os dados provisórios do comércio externo, no segundo trimestre de 2021, as exportações tiveram um aumento de 44,3%, relativamente ao mesmo período de 2020.

Nesse período, as exportações de Cabo Verde totalizaram 1.293 mil milhões de escudos (11,7 mil milhões de euros), correspondendo a um aumento de 396 mil milhões de escudos (3,5 mil milhões de euros).

Entre os produtos exportados por Cabo Verde, os preparados e conservas lideram (71,3%), seguidos pelos vestuários (7,4%), e os peixes crustáceos e moluscos na terceira posição (6,8%), diminuindo 17,3 pontos percentuais em relação ao registado no mesmo período do ano anterior.

Segundo o INE, estes três produtos representaram, no segundo trimestre deste ano, 85,5% do total das exportações de Cabo Verde, mesmo diminuindo 0,9 pontos percentuais comparativamente ao registado no mesmo trimestre de 2020.

Os dados do comércio externo do INE indicam que Espanha lidera a tabela dos principais clientes de Cabo Verde na zona económica europeia, representando 70% nos segundos três meses do ano, num aumento de 7,6 pontos percentuais, face ao trimestre homólogo.

Portugal ocupa o segundo lugar na estrutura das exportações cabo-verdiana (14,4%), aumentando 2,0 pontos percentuais, com os Estados Unidos no terceiro lugar (8,8%) e a Itália (4,5%).

No período em análise, as importações de Cabo Verde aumentaram 25,9% face ao segundo trimestre de 2020, com o continente europeu a continuar a ser o principal fornecedor de produtos ao arquipélago (66,9%), contra 73,5% do mesmo período do ano passado.

Seguem-se a Ásia/Oceânia (18,3%), a América (9,8%), o Resto do Mundo (2,8%) e a África (2,1%).

Relativamente aos países, Portugal ocupa o primeiro lugar, com um peso de 43,4%, e China o segundo lugar, com 10,4%, seguida da Espanha, com 6,9%, e Países Baixos, com 4,9%.

No segundo trimestre do ano, os principais produtos importados por Cabo Verde foram os combustíveis (11,8%), reatores e caldeira (8,8%), veículos automóveis (6,9%) e ferro e suas obras (6,0%).

No período em estudo, o INE concluiu ainda que as reexportações aumentaram 76,6%, comparativamente ao mesmo período de 2020, o défice da balança comercial aumentou 24,7% e a taxa de cobertura aumentou em 0,9 pontos percentuais.

No primeiro trimestre deste ano, as exportações, importações e reexportações em Cabo Verde diminuíram respetivamente 36,8%, 11,6% e 40,4%, comparativamente ao mesmo período de 2020.

RIPE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS