Euro recupera e fica acima de 1,05 dólares

O euro subiu hoje face ao dólar e ficou acima da barreira dos 1,05 dólares, após a presidente do BCE ter antecipado uma inflação elevada na zona euro nos próximos meses e uma recuperação no setor dos serviços.

Euro recupera e fica acima de 1,05 dólares

Euro recupera e fica acima de 1,05 dólares

O euro subiu hoje face ao dólar e ficou acima da barreira dos 1,05 dólares, após a presidente do BCE ter antecipado uma inflação elevada na zona euro nos próximos meses e uma recuperação no setor dos serviços.

Pelas 18:02 (hora de Lisboa), o euro seguia a 1,0522 dólares, quando na sexta-feira, pela mesma hora, negociava a 1,0468 dólares.

O euro também subiu em comparação com o iene, mas recuou face à libra.

O BCE fixou o câmbio de referência do euro em 1,0517 dólares.

Na sessão de hoje, o euro atingiu um mínimo de 1,0486 dólares e um máximo de 1,0546 dólares.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, antecipou hoje uma “inflação indesejavelmente elevada” na zona euro nos próximos meses, assim como uma recuperação no setor dos serviços, devido ao turismo, a suportar o crescimento económico.

Numa audição na comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu sobre as consequências da guerra na Ucrânia e inflação recorde na zona euro, em Bruxelas, Christine Lagarde lembrou que as projeções mais recentes do BCE sobre a inflação “foram revistas em significativa alta”, estando agora previsto que “a inflação permaneça indesejavelmente elevada durante algum tempo”.

“Prevê-se uma inflação anual de 6,8% em 2022, antes de um declínio previsto de 3,5% em 2023 e 2,1% em 2024 e isto significa que a inflação global no final do horizonte de projeção deverá ser ligeiramente superior ao nosso objetivo” de 2%, dado o mandato para estabilidade dos preços, admitiu.

Este mês, o BCE cortou as projeções de crescimento económico da zona euro para 2,8% este ano e 2,1% em 2023 e subiu as de inflação para 6,8% este ano, antes de cair para 3,5% em 2023.

Este domingo, a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, também antiga presidente da Reserva Federal (Fed), disse que uma recessão no país não é “inevitável”, depois da histórica subida das taxas de juro na quarta-feira.

“Não penso que uma recessão seja inevitável”, disse Janet Yellen à televisão ABC News, citada pela agência France-Presse, admitindo, porém, que espera que “a economia desacelere” no quadro de uma transição para um “crescimento lento e estável”.

A Reserva Federal norte-americana decidiu na quarta-feira subir a sua taxa de juro de referência em 75 pontos base, o terceiro aumento desde março e o maior desde 1994.

Divisas……………hoje…………..sexta-feira

Euro/dólar…………1,0522……………..1,0468

Euro/libra…………0,85869……………0,85881

Euro/iene………….142,11……………..141,45

Dólar/iene…………135,07……………..135,13

PE (ANE/JE/EO) // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS