Estrada nacional em Vila Viçosa cortada por precaução devido a pedreira próxima

A Estrada Nacional 254 junto a Bencatel, no concelho de Vila Viçosa (Évora), vai ser cortada ao trânsito de forma definitiva, a partir de sexta-feira, por questões de segurança, devido à proximidade de uma pedreira.

Estrada nacional em Vila Viçosa cortada por precaução devido a pedreira próxima

Estrada nacional em Vila Viçosa cortada por precaução devido a pedreira próxima

A Estrada Nacional 254 junto a Bencatel, no concelho de Vila Viçosa (Évora), vai ser cortada ao trânsito de forma definitiva, a partir de sexta-feira, por questões de segurança, devido à proximidade de uma pedreira.

Fonte oficial da Infraestruturas de Portugal (IP) revelou hoje à agência Lusa que o corte do trânsito, ao quilómetro três da EN254, junto à pedreira “Monte d’el Rei”, que tem cerca de “134 metros de profundidade”, deve-se à proximidade desta com a via.

A escavação está, atualmente, a uma distância de “cerca de 30 metros da estrada”, mas, “com a profundidade que esta pedreira tem, devia estar a mais de 400 metros”, salientou a fonte da empresa pública.

Segundo a fonte, este é um dos casos que não cumpre o Estatuto das Estradas Nacionais e que foi identificado num levantamento após a derrocada de uma estrada para o interior de duas pedreiras no concelho vizinho de Borba, ocorrida há dois anos e que provocou cinco mortos.

“O que nos move para a decisão são razões de segurança e o desconhecimento sobre a capacidade que a via tem de estar sustentada”, justificou a fonte da IP.

E, “aquilo que seria indesculpável” seria, “tendo a IP conhecimento da situação, não fazer nada”, sublinhou.

A fonte realçou que a empresa pública está “consciente das limitações e das inconveniências” que a medida vai ter na população, sobretudo de Vila Viçosa e Bencatel, mas vincou que “há um sentimento de urgência que tem de ter consequência”.

De acordo com a mesma fonte, a IP tem um relatório produzido por técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), após uma inspeção no local, que “suporta as preocupações” e recomenda o corte da EN254.

O relatório, adiantou, foi pedido depois de responsáveis da IP terem ficado a saber, durante uma reunião com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo e a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), que “a exploração da pedreira tinha feito túneis na direção da estrada”.

Documentos técnicos da entidade exploradora da pedreira e da DGEG foram analisados por especialistas da IP, que não ficaram “confortáveis com o que foi observado”, porque “não se consegue ter uma garantia sobre a estabilidade ou a instabilidade que estes túneis podem causar na via”, disse.

A fonte da Infraestruturas de Portugal precisou que “a interditação da circulação” na EN254 coincide “com o troço em que a pedreira confina com a estrada” e notou que o trânsito mantém-se na restante via.

Questionada pela Lusa, a fonte da IP limitou-se a revelar que a empresa pública e a Câmara de Vila Viçosa estão a tentar “encontrar uma solução” alternativa para a circulação entre as duas localidades.

A mesma fonte revelou também que a IP vai fazer nos próximos dias uma intervenção na EN255, entre Vila Viçosa e Alandroal, para permitir a circulação de pesados, que atualmente está interdita devido à proximidade de outra pedreira.

A partir de sexta-feira, a alternativa de circulação para veículos ligeiros, quer no sentido Bencatel-Vila Viçosa, quer no sentido inverso, deverá ser, precisamente, a EN255.

Já o percurso alternativo dos pesados, durante as próximas duas semanas, enquanto não for feita a intervenção na EN255, deve ser realizado através da EN381, entre a EN4 e a vila de Redondo.

SM // RRL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS