Estas novas cervejas artesanais sabem a ananás e chá dos Açores

Uma cervejaria do Minho criou cervejas artesanais com sabores dos Açores, uma com ananás e outra com chá preto, e a adesão tem sido positiva, segundo o co-proprietário da Letra, Francisco Pereira.

Estas novas cervejas artesanais sabem a ananás e chá dos Açores

Estas novas cervejas artesanais sabem a ananás e chá dos Açores

Uma cervejaria do Minho criou cervejas artesanais com sabores dos Açores, uma com ananás e outra com chá preto, e a adesão tem sido positiva, segundo o co-proprietário da Letra, Francisco Pereira.

“Este primeiro lote destas duas cervejas acredito que esteja praticamente já a acabar. Eventualmente, teremos de repetir em breve”, avançou, em declarações à agência Lusa, o responsável pela fábrica de cerveja artesanal Letra, de Vila Verde, Braga.

O desafio partiu do distribuidor da Letra no arquipélago, Azbeer Meet, e o ananás foi uma escolha óbvia.

“Chegámos facilmente ao ananás, quer pela vertente das diferentes plantações de ananás e pelo facto de ser um produto que os turistas visitam e bastante característico dos Açores”, contou Francisco Pereira.

A Gorreana, dona da única plantação de chá da Europa, também se juntou à parceria e a escolha da Letra recaiu no chá preto por ser “mais aromático” e “com notas mais frutadas”.

“As cervejas são efetivamente bastante diferentes do normal. No caso da de ananás, é mesmo um sumo de ananás. É uma cerveja com 4,5% de álcool, muito leve, e tem uma carga aromática e tropical do ananás muito forte. Mesmo a pessoa que não goste de cerveja normal vai gostar desta cerveja. No caso da Gorreana é uma cerveja muito leve, muito neutra, e só se nota mesmo a particularidade de ter aquelas notas mais frutadas da variedade de chá que selecionámos”, salientou o co-proprietário da Letra.

Criada em 2013, a cervejaria minhota já criou cerca de 50 cervejas diferentes e, segundo Francisco Pereira, a procura por cervejas artesanais em Portugal é “cada vez maior”.

Com um primeiro lote de 1.000 litros (3.000 garrafas), a Letra pretende com as cervejas de ananás e chá preto projetar a marca nos Açores, mas também valorizar os produtos açorianos junto do mercado nacional e dos turistas.

“O mercado dos Açores é um mercado pequeno, mas neste momento a Letra tem venda há cerca de um ano, temos cerca de 40 clientes, e é um mercado que está a crescer, principalmente pelo facto de existir cada vez mais turismo nos Açores”, frisou o empresário.

Segundo Francisco Pereira, a Azores Juicy IPA (India Pale Ale) e a Gorreana APA (American Pale Ale) têm despertado a curiosidade nos Açores e a cervejeira está já a pensar em aumentar a produção.

“Cada vez mais espaços estão a adquirir, por serem duas cervejas que os açorianos têm vontade de experimentar, porque são feitas com produtos dos Açores”, salientou.

 

 

LEIA MAIS

Se quer ser feliz tem de visitar este novo restaurante em Lisboa

Governo pede o regresso de emigrantes a Portugal

Impala Instagram


RELACIONADOS