Crise/Energia: Gasolina e gasóleo sobem 5,4 e 5 cêntimos no 3.º trimestre face ao anterior — ERSE

Os preços da gasolina e do gasóleo, sem impostos, subiram 5,4 e 5 cêntimos por litro, respetivamente, do segundo para o terceiro trimestre.

Crise/Energia: Gasolina e gasóleo sobem 5,4 e 5 cêntimos no 3.º trimestre face ao anterior -- ERSE

Crise/Energia: Gasolina e gasóleo sobem 5,4 e 5 cêntimos no 3.º trimestre face ao anterior — ERSE

Os preços da gasolina e do gasóleo, sem impostos, subiram 5,4 e 5 cêntimos por litro, respetivamente, do segundo para o terceiro trimestre.

Lisboa, 09 nov 2021 (Lusa) — Os preços da gasolina e do gasóleo, sem impostos, subiram 5,4 e 5 cêntimos por litro, respetivamente, do segundo para o terceiro trimestre, com a carga fiscal a justificar menor competitividade dos preços na Península Ibérica, divulgou hoje a ERSE.

De acordo com o Boletim Preços UE-27 dos Combustíveis relativo ao terceiro trimestre de 2021, publicado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), “o PMV [preço médio de venda] sem impostos da gasolina na UE-27 aumentou 5,4 cent/l [cêntimos por litro] do segundo para o terceiro trimestre” e o do gasóleo “aumentou 5,0 cent/l”.

No caso da gasolina 95 simples, “Portugal praticou um PMV sem impostos mais baixo do que em Espanha”, no entanto “a carga fiscal aplicada em Portugal (59%) justificou a menor competitividade dos preços no contexto da Península Ibérica”, concluiu o regulador.

No trimestre em análise, Portugal apresentou uma carga fiscal no PMV da gasolina 95 simples superior à média registada nos 27 países-membros da União Europeia (55%), a Espanha (51%), à Alemanha (56%) e à Bélgica (57%).

Os PMV em Portugal são mais altos do que a média UE-27, ocupando a quinta posição dos países com preços mais altos, refere.

Segundo a ERSE, a carga fiscal aplicada nos dois países da Península Ibérica “explicou a prática de preços médios de venda deste combustível no mercado nacional superiores aos preços médios praticados em Espanha”.

Já no caso do gasóleo simples, “o peso fiscal em Portugal justificou a prática de preços 19 cent/l mais altos do que em Espanha”, apontou a entidade reguladora, acrescentando que “sem impostos, os preços médios nacionais encontram-se alinhados aos do país vizinho”.

De julho a setembro, Portugal apresentou uma carga fiscal no preço médio do gasóleo simples na ordem dos 54%, um valor superior à média registada na UE-27 (51%), a Espanha (47%), a Grécia (50%), a Alemanha (50%) e aos Países Baixos (53%).

O PMV nacional situou-se acima dos valores médios da UE-27, ficando Portugal no sexto lugar dos preços mais altos.

Tal como na gasolina, a carga fiscal subjacente aos preços do gasóleo simples nos dois países da Península Ibérica “explica a prática de preços médios nacionais superiores aos preços médios praticados em Espanha”, referiu a ERSE.

Por fim, no caso do gás de petróleo liquefeito para automóveis (GPL auto), o combustível rodoviário com menor carga fiscal, os preços praticados em Portugal foram mais baixos do que em Espanha.

De acordo com o regulador da energia, Portugal apresentou uma carga fiscal no PMV do GPL auto na ordem dos 42%, superior à média registada na UE-27 (33%).

“Ao contrário dos restantes combustíveis analisados, o PMV nacional do GPL Auto, com e sem impostos, foi sempre inferior aos valores praticados em Espanha, com diferenças de 5 cent/l e 18 cent/l, relativamente aos preços com e sem impostos, respetivamente”, referiu o boletim.

MPE // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS