Crescimento do volume de negócios na indústria abranda para 16,2% em outubro

O volume de negócios na indústria registou um aumento homólogo e nominal de 16,2% em outubro, enquanto o crescimento observado em setembro foi de 22,1%, indicou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Crescimento do volume de negócios na indústria abranda para 16,2% em outubro

Crescimento do volume de negócios na indústria abranda para 16,2% em outubro

O volume de negócios na indústria registou um aumento homólogo e nominal de 16,2% em outubro, enquanto o crescimento observado em setembro foi de 22,1%, indicou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“[…] O índice de volume de negócios na indústria apresentou uma variação de 16,2% em outubro (22,1% no mês precedente), continuando a refletir o crescimento do índice de preços na indústria (16,2% em outubro e 19,7% em setembro)”, explica o INE em comunicado.

No caso de se excluir o agrupamento de energia, as vendas na indústria aumentaram 15,5% em outubro, contra uma subida de 18,3% no mês anterior.

O INE refere ainda que os índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo desaceleraram, respetivamente, 7,4 e 3,7 pontos percentuais, para taxas de crescimento de 16,8% e 15,4% em outubro.

Todos os grandes agrupamentos industriais apresentaram taxas de variação inferiores às observadas em setembro, sendo que os bens intermédios deram o principal contributo (5,3 pontos percentuais [p.p.]) para o crescimento do índice total de outubro, derivado do aumento de 14,6%, contra uma subida de 18% em setembro.

Os bens de consumo e a energia desaceleraram 1,9 p.p. e 17,9 p.p., respetivamente, para taxas de crescimento de 15% e 18,5%, tendo contribuído com 4,1 p.p. cada, enquanto os bens de investimento contribuíram com 2,7 p.p., em resultado do aumento de 18,8% (21,8% no mês anterior).

Em termos mensais, volume de negócios na indústria apresentou uma queda 4,2%, que compara com o crescimento de 0,7% em outubro de 2021.

Os aumentos homólogos dos índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas foram de 2,5%, 7,2% e 2,2%, respetivamente, contra a subida de 2,4%, 7,0% e 2,1% em setembro, pela mesma ordem.

JS // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS