Covid-19: GNR detém 30 pessoas por eliminações ilegais de resíduos sanitários

A GNR deteve 30 pessoas por eliminações ilegais de resíduos sanitários relacionados com a covid-19 e apreendeu material no valor de 790 mil euros.

Covid-19: GNR detém 30 pessoas por eliminações ilegais de resíduos sanitários

Covid-19: GNR detém 30 pessoas por eliminações ilegais de resíduos sanitários

A GNR deteve 30 pessoas por eliminações ilegais de resíduos sanitários relacionados com a covid-19 e apreendeu material no valor de 790 mil euros.

A GNR deteve 30 pessoas por eliminações ilegais de resíduos sanitários relacionados com a covid-19 e apreendeu material no valor de 790 mil euros, numa fiscalização realizada a mais de duas mil empresas, hospitais e centros de saúde.

Segundo um comunicado da Europol (Serviço Europeu de Polícia), hoje divulgado, a ação da GNR integrou-se na vasta operação Retrovírus de combate à eliminação e transporte ilegais de resíduos sanitários, que envolveu 30 países e na qual foram realizadas cerca de 280 mil inspeções a várias instalações e detidas 102 pessoas.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) fiscalizou mais de 2.000 empresas, hospitais e centros de saúde, tendo detido 30 pessoas, apreendido material no valor de 790 mil euros e aplicado coimas por violações administrativas.

A unidade ambiental da Guarda Civil Espanhola, SEPRONA investigou as atividades de uma empresa que opera em Barcelona, Madrid, Murcia, Valência, Tarragona e Zaragosa e que tinha ligações com outra organização que operava em Lisboa.

A polícia espanhola realizou buscas em nove locais e deteve 20 pessoas por crimes contra o meio ambiente, direitos de trabalho e saúde pública.

“O lixo sanitário, coletado pela empresa, normalmente era esterilizado em alta pressão para eliminar todos os componentes perigosos, mas para aumentar os lucros foi reduziu o tempo de tratamento, fazendo com que os resíduos não fossem devidamente esterilizados e que provocava riscos elevados para a saúde pública”, refere Europol.

As autoridades também fiscalizaram o transporte de resíduos sanitários em toda a União Europeia e as polícias da República checa, Polónia, Roménia e Eslováquia identificaram carregamentos ilegais, que foram devolvidos ao país de origem.

Outra tendência identificada durante a operação foi a possível poluição de águas residuais urbanas. A Guarda Civil Espanhola lançou a operação Arcovid para investigar os tratamentos de filtração da água para poluentes e a possível presença do novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, as autoridades policiais detetaram um “crescimento potencial do tratamento e eliminações ilegais de resíduos sanitários” o que levou as autoridades de vários países a realizarem inspeções e verificações nas instalações e transporte de resíduos sanitários, “que foram cruciais para impedir o tráfico ilegal, armazenamento, despejo e transporte de resíduos e fraude”.

Trinta países participaram na operação Retrovírus, incluindo a Direção-Geral do Ambiente da Comissão Europeia, a Rede EnviCrime, Frontex, INTERPOL, o projeto El PAaCTo e a Rede da União Europeia para a Implementação e Aplicação da Legislação Ambiental (IMPEL).

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.453.074 mortos resultantes de mais de 62,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

LEIA MAIS

Meteorologia: Previsão do tempo para segunda-feira, 30 de novembro

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS