Covid-19: Autoridade na Guiné-Bissau alerta para aumento da taxa de positividade

A Guiné-Bissau registou 26 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, em 24 horas, e o Alto Comissariado para a Covid-19 revelou hoje preocupação com o aumento da taxa de positividade no país.

Covid-19: Autoridade na Guiné-Bissau alerta para aumento da taxa de positividade

Covid-19: Autoridade na Guiné-Bissau alerta para aumento da taxa de positividade

A Guiné-Bissau registou 26 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, em 24 horas, e o Alto Comissariado para a Covid-19 revelou hoje preocupação com o aumento da taxa de positividade no país.

“A taxa de positividade continua elevada, em 113 pessoas testadas, 26 são positivas para o novo coronavírus, uma taxa de positividade de 23%”, destaca o comunicado do Alto Comissário para a Covid-19.

De acordo com o boletim epidemiológico estão internadas 44 pessoas, enquanto 33 pessoas foram dadas como recuperadas da doença, nas últimas 24 horas.

A Guiné-Bissau continua a registar 856 casos ativos de covid-19.

O país registou desde o início da pandemia, em março de 2020, 5.702 casos confirmados da doença e mantém 115 óbitos.

O Alto Comissariado para a Covid-19 anunciou hoje que foi detetada na Guiné-Bissau a variante Delta do novo coronavírus.

“Em resultado do sequenciamento genético de 34 amostras colhidas entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021, foi detetada a presença da variante Delta em todas as amostras sequenciadas”, revelou um comunicado.

A alta comissaria, Magda Robalo, exortou os guineenses a vacinarem-se com a variante Delta em circulação.

“Dados científicos sugerem que esta variante causa doença mais grave do que as outras variantes e o próprio vírus original, sobretudo em pessoas não vacinadas”, frisou o comunicado.

A Guiné-Bissau vive, há dois meses, a terceira vaga da pandemia de covid-19.

A covid-19 provocou pelo menos 4.472.486 mortes em todo o mundo, entre mais de 214,5 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

MB // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS