Consumo de bacalhau vai manter-se entre as 4 e as 5 toneladas no Natal

Os portugueses vão continuar a consumir entre quatro a cinco toneladas de bacalhau no Natal, sobretudo da Noruega, estimou o Conselho Norueguês dos Produtos do Mar (NSC), notando que esta será a última iguaria a ser sacrificada.

Consumo de bacalhau vai manter-se entre as 4 e as 5 toneladas no Natal

Consumo de bacalhau vai manter-se entre as 4 e as 5 toneladas no Natal

Os portugueses vão continuar a consumir entre quatro a cinco toneladas de bacalhau no Natal, sobretudo da Noruega, estimou o Conselho Norueguês dos Produtos do Mar (NSC), notando que esta será a última iguaria a ser sacrificada.

“Estimamos que o consumo de bacalhau na época natalícia, em termos de volume, não se altere face aos anos anteriores. Se os portugueses tiverem que sacrificar alguma das iguarias que costumam ter na mesa de Natal, o bacalhau será o último a ser sacrificado”, adiantou o diretor para Portugal do NSC, Trond Rismo.

Para ler depois
Bacalhau com crosta de pão: a receita ideal para a consoada
Quando se pensa em receitas de Natal, pensa-se em Bacalhau. Contudo, às vezes é difícil preparar um prato que agrade a toda a família (… continue a ler aqui)

Assim, vão continuar a ser consumidas entre quatro a cinco toneladas na véspera de Natal, sendo que cerca de 70% é da Noruega. O consumo de bacalhau no mês de dezembro representa cerca de 25% do total. “Apesar dos tempos difíceis, os portugueses não abrem mão do seu fiel amigo no Natal. Após algumas conversas com os lojistas, os comentários são bastante positivos em relação ao volume deste pescado vendido desde o início de dezembro nos supermercados portugueses”, notou Trond Rismo.

De acordo com o NSC, Portugal é o quinto maior mercado de exportação dos produtos do mar noruegueses e, apesar da escalada de preços, os consumidores vão continuar a comprar este peixe no próximo ano, mas podem vir a optar por um menor calibre. No canal ‘Cash&Carry’ (venda para pequenos negócios), o preço do bacalhau aumentou quase dois euros por quilograma (Kg), face a 2021, e no comércio moderno (supermercados, hipermercados e minimercados) subiu 1,72 euros por kg.

“Em 2022, os portugueses compraram bacalhau principalmente nos grandes supermercados (46,6%), sendo as mercearias responsáveis por 7% das vendas, os pequenos supermercados por 22,4% e os hipermercados por 23,9%”, referiu o diretor para Portugal do NSC.

Impala Instagram


RELACIONADOS