Confiança do consumidor cabo-verdiano volta a cair no terceiro trimestre do ano

confiança do consumidor cabo-verdiano voltou a cair no terceiro trimestre do ano, contrariando uma tendência ascendente dos três trimestres anteriores, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Confiança do consumidor cabo-verdiano volta a cair no terceiro trimestre do ano

Confiança do consumidor cabo-verdiano volta a cair no terceiro trimestre do ano

confiança do consumidor cabo-verdiano voltou a cair no terceiro trimestre do ano, contrariando uma tendência ascendente dos três trimestres anteriores, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

De acordo com os resultados do inquérito de conjuntura nas famílias, no 3.º trimestre de 2021 o indicador de confiança no consumidor contrariou a tendência ascendente dos três últimos trimestres, realçando o diminuir da confiança das famílias cabo-verdianas.

Desde o terceiro trimestre de 2020 que o indicador de confiança vinha aumentando em Cabo Verde, depois de uma queda acentuada desde os primeiros três meses de 2019.

Mesmo situando abaixo da média da série, de julho a setembro o referido indicador de confiança evoluiu favoravelmente face ao mesmo período do ano 2020, ainda de acordo com os dados do INE.

“Este resultado justifica-se basicamente pela apreciação positiva das famílias sobre a sua situação económica atual e a evolução do desemprego no país para os próximos 12 meses relativamente ao trimestre homólogo”, explicou aquele instituto cabo-verdiano.

Questionadas sobre a sua situação presente e passada, as famílias inquiridas responderam que nos últimos 12 meses, tanto a situação económica do seu lar como a situação económica do país evoluíram negativamente relativamente ao trimestre homólogo.

“Na opinião dos inquiridos, os preços de bens e serviços diminuíram e o desemprego no país diminuiu relativamente ao mesmo período do ano 2020”, avançou o INE.

Em relação à poupança, a maior parte (86,2%) dos inquiridos considerou que no terceiro trimestre de 2021 a situação económica do país não permite poupar dinheiro, um aumento relativamente ao trimestre homólogo, que foi de 77,4%.

“De realçar que 12,5% dos inquiridos afirmaram ser possível poupar algum dinheiro com a atual situação económica do país sendo que, no trimestre homólogo, era de 8,6%, apresentando um acréscimo de 3,9 pontos percentuais”, prosseguiu a mesma fonte.

Para o futuro, as famílias cabo-verdianas afirmaram que nos próximos 12 meses tanto a situação financeira como a situação económica do país deverão evoluir negativamente face ao trimestre homólogo.

“Para as famílias inquiridas, o desemprego deverá manter a tendência de diminuição e os preços manterão no mesmo face ao trimestre homólogo”, referiu o INE.

Quanto à intenção de comprar carro nos próximos 12 meses, 79 em cada 100 entrevistados afirmaram ter a certeza absoluta de que não tencionam fazer esse negócio nos próximos dois anos.

E para comprar ou construir casa no próximo ano, no terceiro trimestre 19,5% dos inquiridos afirmaram que provavelmente sim, irão construir ou comprar uma casa (contra 12,1% no período homólogo), representando um aumento de 7,4 pontos percentuais.

RIPE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS