Concursos de obras públicas abertos caíram 16,6% até final de setembro — associações

Os concursos de obras públicas abertos até final de setembro registaram uma queda de 16,6%, para 3.142 milhões de euros, em termos homólogos, de acordo com associações do setor.

Concursos de obras públicas abertos caíram 16,6% até final de setembro -- associações

Concursos de obras públicas abertos caíram 16,6% até final de setembro — associações

Os concursos de obras públicas abertos até final de setembro registaram uma queda de 16,6%, para 3.142 milhões de euros, em termos homólogos, de acordo com associações do setor.

Redação, 04 nov 2021 (Lusa) — Os concursos de obras públicas abertos até final de setembro registaram uma queda de 16,6%, para 3.142 milhões de euros, em termos homólogos, de acordo com dados publicados hoje pelas associações do setor AICCOPN e AECOPS.

“No entanto, apesar desta redução ao nível dos concursos promovidos, o volume de contratos de empreitadas de obras públicas celebrado e registado no Portal Base nos primeiros nove meses de 2021 regista um aumento de 30,5%, para 2.817 milhões de euros, mantendo-se uma evolução significativamente positiva face ao apurado em igual período de 2020”, indicaram a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) e a Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços (AECOPS).

Paralelamente, “no que diz respeito às licenças de construção emitidas pelas autarquias nos primeiros oito meses do ano”, de acordo com os mesmos dados, “assiste-se a um crescimento de 10,3%, em termos homólogos, fortemente influenciado pela construção nova, cujas licenças crescem 12,4%, em termos homólogos, enquanto na reabilitação se assiste a um crescimento significativo, mas menos intenso, de 4,6% em termos homólogos”, acrescentam.

Da mesma forma, no licenciamento habitacional, a AICCOPN e a AECOPS apuraram “um crescimento mais expressivo na construção nova do que na reabilitação, já que o número de alojamentos em construções novas licenciados cresce 11,6%, enquanto as licenças emitidas para reabilitação de habitações sobem apenas 1,7%, em termos homólogos”.

No seu balanço, no qual citam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) e Banco de Portugal, entre outros, as associações indicam também que “o novo crédito concedido a particulares para aquisição de habitação pelas instituições financeiras totalizou 9.826 milhões de euros até agosto, o que corresponde a um acréscimo de 37,9% em termos homólogos acumulados”.

Acrescentam que, “quanto aos valores de avaliação bancária na habitação no mês de setembro, regista-se um crescimento de 9,6%, em termos homólogos, em resultado de variações de 11,0% nos apartamentos e de 4,7% nas moradias, em termos homólogos”.

As associações revelaram ainda que “o consumo de cimento no mercado nacional atingiu 2.868 milhares de toneladas até ao final do mês de setembro de 2021, o que traduz um crescimento de 6,6%, face aos mesmos meses do ano anterior”.

ALYN // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS