Concurso para renovar e desnivelar Linha do Norte entre Ovar e Gaia por 60 ME

A linha do Norte vai ter obras de “renovação integral” e desnivelamento entre Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, e Ovar, distrito de Aveiro, numa empreitada de 60 milhões de euros, revela hoje o Diário da República.

Concurso para renovar e desnivelar Linha do Norte entre Ovar e Gaia por 60 ME

Concurso para renovar e desnivelar Linha do Norte entre Ovar e Gaia por 60 ME

A linha do Norte vai ter obras de “renovação integral” e desnivelamento entre Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, e Ovar, distrito de Aveiro, numa empreitada de 60 milhões de euros, revela hoje o Diário da República.

A informação consta de um anúncio da Infraestruturas de Portugal (IP) relativo ao lançamento do concurso para a “Linha do Norte — Subtroço Ovar/Gaia — Empreitada de Renovação Integral de Via e Desnivelamentos no Trecho entre os quilómetros 318,600 e 332,780”.

Na “descrição sucinta” dos trabalhos é referida a “renovação integral da Via”, a “implantação de duas novas vias com 750 metros de comprimento útil”, a “construção de passagens desniveladas rodoviárias e pedonais” e a “construção de novos cais de passageiros nas estações e apeadeiros”, bem como “trabalhos de catenária, incluindo a substituição integral do sistema de catenária entre o quilómetro 318,600 e o 332,780”.

De acordo com o anúncio publicado no DR, o valor base do concurso é de 60 milhões de euros.

O prazo de execução da obra é de 660 dias, ou seja, cerca de dois anos.

As empresas interessadas em realizar a obra devem apresentar as suas propostas no prazo de 31 dias.

A Infraestruturas de Portugal aponta como locais de “execução de contrato” as freguesias de Espinho e Silvalde, concelho de Espinho, distrito de Aveiro.

A estas, somam-se as freguesias de São Felix da Marinha, Arcozelo, Gulpilhares e Valadares, Canidelo, Madalena e Santa Marinha/São Pedro da Afurada, no concelho de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

Este concurso já tinha sido lançado em junho de 2018, mas ficou deserto porque as propostas apresentadas não foram consideradas válidas, explicou à Lusa fonte oficial da IP.

“Foi necessário relançar o procedimento”, explicou.

No início de junho de 2018, o vice-presidente da IP, Carlos Fernandes, revelou que a renovação do troço Espinho-Gaia da linha ferroviária do Norte, avaliada em 49 milhões de euros, começaria passado um ano, estimando-se que terminasse 18 meses depois.

O responsável indicava ainda que a obra seria dividida em quatro fases, num investimento global de cerca de 160 milhões de euros, cofinanciado por fundos comunitários.

A sinalização eletrónica e telecomunicações entre Espinho e Gaia e a renovação integral da via Valadares–Gaia estava, estão, em curso.

Na ocasião, apontava-se para uma última fase a modernização Ovar-Espinho, a mais cara das obras, avaliada em 52 milhões de euros, com lançamento está previsto para o segundo semestre de 2019.

ACG (AXYG/PYT) // JAP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS