Compras com cartão nos centros comerciais em 2022 superam níveis pré-pandemia

A faturação em compras com cartão das lojas dos centros comerciais aumentou 20,6% em 2022 face ao ano pré-pandémico de 2019, tendo o número de transações subido 20,9%, segundo um estudo divulgado hoje pela associação setorial.

Compras com cartão nos centros comerciais em 2022 superam níveis pré-pandemia

Compras com cartão nos centros comerciais em 2022 superam níveis pré-pandemia

A faturação em compras com cartão das lojas dos centros comerciais aumentou 20,6% em 2022 face ao ano pré-pandémico de 2019, tendo o número de transações subido 20,9%, segundo um estudo divulgado hoje pela associação setorial.

A faturação em compras com cartão das lojas dos centros comerciais aumentou 20,6% em 2022 face ao ano pré-pandémico de 2019, tendo o número de transações subido 20,9%, segundo um estudo divulgado hoje pela associação setorial. De acordo com o estudo desenvolvido pela Reduniq Insight para a Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC), “a variação positiva da faturação é principalmente explicada pelo crescimento dos dias úteis, 26% entre 2019 e 2022”.

Analisando o horário de consumo nos dias úteis, o estudo nota ainda que “o período laboral apresenta um crescimento maior do que o período pós-laboral (25,9% vs 11,4%), sendo por isso muito relevante na performance positiva dos centros comerciais”.

A rede nacional de aceitação de cartões nacionais e estrangeiros Reduniq apurou ainda que, no ano passado, e apesar da inflação registada, o valor do ‘ticket’ médio foi 37,2 euros, “muito semelhante ao do ano de 2019”, sendo a compra média mais elevada ao fim de semana (38,3 euros).

Analisando a relevância de cada trimestre no total de faturação registada em centros comerciais, constata-se “um perfil muito estável entre 2019 e 2022”, sendo o quarto trimestre “o que contribui mais para a faturação total, 31,7% em 2022”. Do estudo resulta ainda que os principais setores que caracterizam o consumo em centros comerciais – como a moda, as perfumarias e a restauração – apresentam em 2022 um valor de compra média superior ao registado em 2019.

“Em termos setoriais, em 2022, 34% do total de faturação registada em centros comerciais é relativa à categoria da moda. Além disso, 28% foi gasto em supermercados e 14% em restauração”, detalha.

Face a 2019, verifica-se que a hotelaria e atividades turísticas e a moda “são as únicas categorias que apresentam variações de faturação negativas”, enquanto categorias como os acessórios de automóveis e oficinas, eletrodomésticos e tecnologia, gasolineiras, papelarias, perfumarias e supermercados apresentam crescimentos entre os 4% e 29%. “Além disso, categorias como os cabeleireiros, farmácias, restauração e saúde apresentam crescimentos mais expressivos, em alguns casos superiores a 100%, em parte explicado pela desmaterialização dos pagamentos de dinheiro para cartão”, acrescenta.

O estudo da Reduniq Insight aponta ainda que o período do fim de semana representou 34% do total de faturação em centros comerciais em 2022, sendo que, comparando com 2019, o peso do fim de semana diminuiu em três pontos percentuais.

Em relação aos horários de consumo, nos dias úteis o horário pós-laboral representa 34% do total de faturação registada, tendo apresentado uma variação negativa do peso de três pontos percentuais entre 2019 e 2022. Já no que se refere aos diferentes dias da semana, cerca de metade da faturação é obtida às sextas-feiras, sábados e domingos, situação que não se alterou entre 2019 e 2022.

Citado num comunicado, o presidente executivo da APCC, afirma que 2022 “foi um ano de recuperação plena” para os lojistas dos centros comerciais: “Apesar de ter começado com grandes restrições de circulação, apesar das pressões inflacionistas, acabou por ser um dos melhores anos de sempre para as lojas dos centros comerciais”, diz Rodrigo Moita de Deus, sustentando que tal resultou “do profissionalismo e dinâmica que todos souberam colocar”.

Para ler depois
Infarmed ordena retirada do mercado de cosméticos da L’Óreal com ingrediente proibido
O Infarmed ordenou a suspensão da venda e retirada do mercado de produtos cosméticos da marca L’Oréal que contêm um ingrediente proibido desde março de 2022 (…continue a ler aqui)

 

Impala Instagram


RELACIONADOS