Companhia aérea Asky Airlines chega a São Tomé e Príncipe com três voos semanais

A companhia aérea pan-africana Asky Airlines vai ligar São Tomé, Livreville e Lomé a partir de 15 de outubro com três voos por semana, aproximando São Tomé e Príncipe de vários países do continente, disse à Lusa fonte oficial.

Companhia aérea Asky Airlines chega a São Tomé e Príncipe com três voos semanais

Companhia aérea Asky Airlines chega a São Tomé e Príncipe com três voos semanais

A companhia aérea pan-africana Asky Airlines vai ligar São Tomé, Livreville e Lomé a partir de 15 de outubro com três voos por semana, aproximando São Tomé e Príncipe de vários países do continente, disse à Lusa fonte oficial.

“Como uma linha aérea pan-africana sabemos que há problemas em termos de conectividade em São Tomé e Príncipe, então decidimos expandir a nossa rede aérea, por isso estamos cá. Também temos benefícios em termos de ‘business class’, classe económica, e também há espaço suficiente para cargas, porque é para transportar pessoas e mercadorias”, disse o gerente de venda da transportadora, Aklesso Siro.

A Asky Airlines “é uma linha aérea pan-africana com sede em Lomé, Togo” e tem com objetivo principal “facilitar a integração regional em África, em termos social, económico, turismo, cultural”, explicou.

Os responsáveis da transportadora promoveram um ‘workshop’ de apresentação dos seus serviços num hotel da capital são-tomense, assegurando três voos por semana para ligar São Tomé e Príncipe a vários países do continente africano, com voos à quarta-feira, quinta e domingo.

“A capacidade vai depender do avião que vai chegar, porque temos dois tipos de avião. Há avião Boeing, em que temos 16 lugares para ‘business’ e 102 lugares para económica, e tem outro avião que tem 16 lugares ‘business’ e 138 para económica”, disse Aklesso Siro.

O gerente de venda da Asky Airlines afirma que se trata da “melhor companhia aérea que há em São Tomé e Príncipe”, oferecendo voos que ligam São Tomé a Libreville (Gabão), Lomé e que se “espalham para outros países africanos” e outros continentes.

“Quem quiser viajar para qualquer país africano ou Médio Oriente ou Europa, Asky está cá para fornecer essa solução”, sublinhou Aklesso Siro.

A ligação entre São Tomé e Príncipe o os países da sub-região africana tem sido assegurada pela companhia equato-guineense Ceiba Internacional, após a transportadora gabonesa Afrijet ter abandonado a rota desde março.

A Ceiba Internacional tem feito um voo por semana entre São Tomé, Libreville e Malabo, na Guiné Equatorial.

 

JYAF // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS