Como comparar propostas de crédito habitação?

Os simuladores de crédito habitação podem ser ferramentas úteis para comparar propostas de crédito. Saiba como utilizá-los e o que deve ter em conta.

Como comparar propostas de crédito habitação?

Como comparar propostas de crédito habitação?

Os simuladores de crédito habitação podem ser ferramentas úteis para comparar propostas de crédito. Saiba como utilizá-los e o que deve ter em conta.

Se vai comprar casa com recurso a financiamento, os simuladores de crédito habitação podem ser uma ajuda para comparar diferentes propostas e escolher aquela que melhor se adapta às suas necessidades. Para comparar propostas e entender melhor os resultados dos simuladores de crédito habitação, damos-lhe 5 dicas.

5 dias essenciais para analisar simulações de crédito habitação

1 – Comece por fazer simulações em diferentes bancos
Poderá optar por se deslocar ao balcão dos bancos em que pretende fazer a simulação, ou se preferir uma maior comodidade, poderá fazer as simulações online. Atualmente existem vários simuladores de crédito habitação online que lhe permitem fazer rapidamente uma simulação e reunir os elementos-chave para tomar uma melhor decisão.

2 – Analise a FINE (com detalhe)
Ao utilizar um simulador de crédito habitação, terá acesso à Ficha de Informação Normalizada Europeia (FINE) este documento tem toda a informação relativa à sua simulação de crédito habitação, dando-lhe uma real noção de quanto poderá pagar pelo seu empréstimo.

Neste documento poderá consultar:
• Montante de empréstimo
• Valor da prestação
• Prazo do empréstimo
• Comissões bancárias
• Despesas e impostos do crédito habitação
• Seguros
• Taxas de juro
• TAN, Spread, TAEG e MTIC
• Vendas associadas facultativas
• Quadros de amortização do empréstimo
• Outros dados relativos ao contrato de crédito

Perca algum tempo a analisar e a entender a FINE, pois esta é extremamente importante e reúne informação valiosa que pode ajudar na sua decisão.

3 – Compare diferentes Taxas de Juro
Tendo em conta o contexto atual, com o aumento das Taxas de juro indexadas à Euribor, é de grande importância, decidir qual a taxa de juro certa para si.

Vejamos:
• Se optar por uma taxa de juro fixa, esta permanece fixa durante todo o prazo do empréstimo independentemente das oscilações que a Euribor venha a sofrer.
• Se escolher uma taxa de juro mista, esta permanece fixa durante um determinado período, passando à taxa variável após esse período e até ao fim do empréstimo.
• Se preferir a taxa de juro variável, a taxa fica sujeita às oscilações da Euribor até ao fim do empréstimo.
Qual é a taxa de juro certa para si? Tudo depende daquilo que mais valoriza. Se prefere uma maior segurança a taxa de juro fixa ou mista, são a melhor opção. Se por outro lado, não se importa de arriscar, então a taxa variável será a escolha certa.
Acima de tudo, escolha com consciência.

4 – O spread é o mais importante?
Tendencialmente ao procurar a melhor proposta de crédito habitação, o Spread surge como elemento preponderante na escolha do crédito, mas será o Spread o mais importante? No crédito habitação, existem dois tipos de Spread, o Spread base (sem vendas associadas facultativas) e o Spread contratado (com vendas associadas facultativas). As vendas associadas facultativas são produtos financeiros (conta ordenado, cartões de crédito, seguros, PPR’s, entre outros…) que podem ser contratados juntamente com o crédito habitação, geralmente em troca de um melhor spread. Tenha em atenção que, muito embora seja tentador contratar outros produtos para obter uma redução do spread, estes produtos poderão aumentar os custos do crédito habitação, sendo importante avaliar se realmente compensa contratar esses produtos para obter uma redução do spread (leia a dica seguinte para saber como medir esse impacto).

Lembre-se que ao contratar estes produtos, terá de os manter até ao final do empréstimo, com o prejuízo de, ao cancelar um ou mais produtos, poder perder a redução do spread, passando do spread contratado para o spread base.

5 – Utilize a TAEG e o MTIC para comparar simulações de crédito habitação
A TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global), mede o custo do empréstimo por ano, em percentagem do montante emprestado. Esta reflete a taxa de juro anual (TAN), as comissões, os seguros, os impostos e emolumentos relativos ao registo da hipoteca, sendo ótima para comparar propostas de crédito, desde que o montante, o prazo e a modalidade de reembolso sejam os mesmos. O MTIC (Montante Total Imputado ao Cliente), reflete o custo total do crédito para o cliente. Este inclui o valor do empréstimo, os juros, os seguros, as comissões, os impostos e outros custos imputados pelo banco, refletido em euros. Por isso, ao comparar as propostas de crédito habitação tenha em atenção estes dois elementos.

Conclusão

Agora que sabe como analisar os resultados das simulações de crédito, está na altura de dar o primeiro passo no nosso simulador de crédito habitação.

Impala Instagram


RELACIONADOS