CMVM suspende negociação das ações da Vista Alegre, que comunicou aumento de capital

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários decidiu suspender a negociação das ações da VAA – Vista Alegre Atlantis – SGPS, SA, que comunicou um aumento de capital superior a 12 milhões de euros.

CMVM suspende negociação das ações da Vista Alegre, que comunicou aumento de capital

CMVM suspende negociação das ações da Vista Alegre, que comunicou aumento de capital

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários decidiu suspender a negociação das ações da VAA – Vista Alegre Atlantis – SGPS, SA, que comunicou um aumento de capital superior a 12 milhões de euros.

Numa nota enviada à CMVM, a Vista Alegre explica que, caso este aumento de 12,1 milhões de euros se concretize, o capital da Sociedade passa a ser superior a 134 milhões de euros.

“A subscrição do Aumento de Capital será efetuada no âmbito de uma oferta particular junto de investidores qualificados, a ter lugar em 04 e 05 de dezembro de 2019, de 15.240.914 novas ações ordinárias, escriturais e nominativas, representativas de aproximadamente 10% do capital social atual da Sociedade, com o valor nominal de Euro0,80 cada (“Novas Ações”) e com um montante mínimo de subscrição de Euro100.000,00 por subscritor (“Oferta”)”, explica o comunicado da empresa.

Cada nova ação a emitir no contexto do aumento de capital será subscrita por um montante entre Euro1,00 e Euro1,15, a ser determinado após o final do período de oferta, acrescenta.

A Vista Alegre diz ainda que o aumento de capital e a oferta “ficam sujeitos à procura, ao preço e às condições de mercado”.

“Em particular, na eventualidade de uma subscrição incompleta, o Aumento de Capital é limitado às subscrições recolhidas e aceites pela Sociedade, desde que e apenas caso sejam efetivamente subscritas um mínimo de 10.668.640 Novas Ações, equivalentes a cerca de 7% do capital social atual (tal não se verificando, o Aumento de Capital e a Oferta ficam sem efeito)”, explica.

A empresa refere que, no contexto da oferta, “foi celebrado um contrato de colocação, sem garantia de subscrição, com o CaixaBank, S.A. (como Global Coordinator), o Caixa – Banco de Investimento, S.A., a JB Capital Markets S.V., S.A.U. e a Nau Securities Limited (como Co-Lead Managers)”.

“O contrato está sujeito aos termos e condições habituais para transações desta natureza, incluindo no que respeita às suas causas de cessação e ao compromisso de lock-up de 180 dias, a contar da admissão à negociação das Novas Ações, por parte da Sociedade”, sublinha.

Na nota enviada à CMVM, a Vista Alegre diz ainda que, caso se concretize o aumento de capital, os seus termos finais, incluindo o número de ações efetivamente subscritas, o montante efetivo do aumento e o preço final de subscrição “serão comunicados ao mercado após a conclusão do processo de ‘accelerated bookbuilding’, o que se antecipa que venha a ocorrer a 05 de dezembro de 2019”, depois do fecho do mercado.

A empresa vai ainda pedir a admissão das novas ações à negociação na Euronext Lisbon (sujeita a registo comercial e a deliberação favorável por parte da Euronext Lisbon).

“De igual modo, caso não se concretize esta operação, a Vista Alegre comunicá-lo-á oportunamente ao mercado”, indica o comunicado.

No final da nota, a Vista Alegre explica que o aumento de capital “visa contribuir para a diversificação da base acionista da Sociedade, bem como para a otimização de fontes de financiamento e o reforço do balanço e dos capitais próprios” da empresa.

SO // SB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS