Cabo Verde aprovou 83 ME em projetos no primeiro trimestre para gerar 654 empregos

O Governo de Cabo Verde aprovou 83 milhões de euros em seis projetos de investimento no primeiro trimestre desde ano, ligados ao turismo e transporte marítimo, que deverão gerar 554 postos de trabalho, divulgou a Cabo Verde TradeInvest.

Cabo Verde aprovou 83 ME em projetos no primeiro trimestre para gerar 654 empregos

Cabo Verde aprovou 83 ME em projetos no primeiro trimestre para gerar 654 empregos

O Governo de Cabo Verde aprovou 83 milhões de euros em seis projetos de investimento no primeiro trimestre desde ano, ligados ao turismo e transporte marítimo, que deverão gerar 554 postos de trabalho, divulgou a Cabo Verde TradeInvest.

De acordo com as informações da entidade estatal que assegura a promoção e captação de investimentos externos para o arquipélago, consultadas hoje pela agência Lusa, os 83.097.159 euros correspondem a investimentos dos Estados Unidos da América, da Turquia, França, Itália e de investidores nacionais.

“Cinco desses projetos são dedicados ao turismo e um deles ao transporte marítimo”, precisou a mesma fonte, indicando que a ilha Sa~o Vicente registou o maior volume de investimentos aprovados, no valor de 70.850.000 euros, com os projetos Four Points by Sheraton & Le Meridien e Navio Atlantis Anta~o.

Seguem-se o Maio, também com dois projetos, que totalizam 7.247.159 euros, o Sal, com 5 milhões de euros, e Santiago com 1.101.509 euros. 

Para o segundo trimestre do ano, que agora terminou, a Cabo Verde TradeInvest prevê “um bom volume de investimentos” para relançar a economia no pós-covid-19.

Em fevereiro, o vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, avançou que Cabo Verde fechou em 2020 um recorde de investimentos externos de 1.244 milhões de euros, num total de 27 projetos que estimam a criação de 12.435 postos de trabalho.

“Este resultado considerável é o mais elevado da história de Cabo Verde, e uma forte indicação que, com a implementação desses projetos, combinado com os grandes investimentos privados, haverá um forte crescimento económico nos próximos anos”, afirmou o também ministro das Finanças.

O valor de investimento externo captado por Cabo Verde em 2020 duplica ainda o recorde anterior, de 2017, quando foram captados 600.877.434 euros, com previsão de 6.689 postos de trabalho.

Em 2020, um único projeto de investimento fechado com a Cabo Verde TradeInvest está orçado em 500 milhões de euros e envolveu a assinatura da convenção de estabelecimento do “Little África Maio”, que vai ser construído nos próximos três anos na ilha com o mesmo nome pelo grupo Internacional Holding Cabo Verde (IHCV).

Trata-se do maior investimento turístico privado de sempre em Cabo Verde e prevê gerar 4.000 empregos.

O turismo, setor que representa 25% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, mas que está praticamente parado desde março de 2020 devido às restrições da pandemia de covid-19, representa 80% do investimento externo contratado com a Cabo Verde TradeInvest, seguido pela indústria, com 19%.

Em entrevista à agência Lusa em junho do ano passado, o presidente da Cabo Verde TradeInvest (CVT), José Almada Dias, disse que o grosso dos investimentos centra-se no turismo hoteleiro, mas a agência estava a fazer uma “forte aposta” no turismo residencial.

“O turismo residencial é diferente. As pessoas compram casas, vêm para aqui viver, reformados, pessoas de outras paragens, o que cria um outro tipo de comprometimento. Só aqui já há alguma diversificação que nós estamos a tentar”, sustentou o presidente.

Além disso, afirmou que a Cabo Verde TradeInvest está a apostar na utilização do Centro Internacional de Negócios (CIN) do país, cujo objetivo é atrair empresas em várias áreas de negócios, na área do comércio internacional.

A Cabo Verde TradeInvest é a agência responsável pela tramitação dos projetos, uma espécie de ‘front office’ do Estado e o investidor.

A aprovação dos projetos é sempre feita pelo Governo, com a agência a regressar depois para emitir um certificado de investidor, que terá direito a uma série de incentivos do Estado, desde fiscais e aduaneiros.

 

RIPE // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS