Bolsas europeias em alta animadas com levantamento da quarentena em Wuhan

As principais bolsas europeias estavam hoje em alta, depois de ter sido anunciado que a cidade chinesa de Wuhan, onde começou o surto do Covid-19, vai levantar a quarentena em 08 de abril.

Bolsas europeias em alta animadas com levantamento da quarentena em Wuhan

Bolsas europeias em alta animadas com levantamento da quarentena em Wuhan

As principais bolsas europeias estavam hoje em alta, depois de ter sido anunciado que a cidade chinesa de Wuhan, onde começou o surto do Covid-19, vai levantar a quarentena em 08 de abril.

Cerca das 08:50 em Lisboa, o EuroStoxx 600 subia 3,34% para 289,55 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt avançavam 2,58%, 3,50% e 4,19%, respetivamente, bem como as de Madrid e Milão que se valorizavam 2,93% e 4,34%.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:50, o principal índice, o PSI20, subia 3,12% para 3.712,25 pontos.

Além do levantamento da quarentena em Wuhan, os investidores também ficaram animados com a decisão da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) ampliar a compra de ativos.

Contudo, analistas citados pela Efe referem que os mercados preferiam uma ação concertada globalmente de bancos centrais e Governos como a adotada na crise financeira de 2008.

Apesar das medidas adotadas pelos diversos governos e bancos centrais, o impacto da pandemia na Europa provocará uma recessão económica este ano tal e como advertiu o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos.

A Fed anunciou que ia fazer aquisições ilimitadas de títulos de dívida pública e outros garantidos (com hipotecas).

O banco central norte-americano anunciou também um programa de 300 mil milhões de dólares (280 mil milhões de euros) para ajudar a “sustentar o fluxo de crédito aos empregadores, aos consumidores e às empresas”.

Segundo vários analistas, a economia dos EUA deve preparar-se para uns meses muito difíceis.

Para Stephen Dulake, responsável máximo pela investigação sobre o crédito no JPMorgan Chase, “as previsões de uma recuperação em meados do ano são de uma história antiga”.

Dulake admitiu mesmo que espera uma “recessão profunda” na primeira economia mundial.

Hoje serão conhecidos alguns dados económicos que permitirão ter uma visão da situação económica na qual se encontra a Europa.

A pandemia também está a começar a atingir os Estados Unidos, onde são cada vez mais os estados que paralisaram a atividade económica e pediram aos cidadãos para ficarem em casa.

Na segunda-feira, a bolsa de Nova Iorque terminou com o Dow Jones a cair 3,04% para 18.591,93 pontos, o nível mais baixo desde novembro de 2016, contra 29.551,42 pontos em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a recuar 0,27% para 6.860,67 pontos, contra o atual máximo de 9.817,18 pontos em 19 de fevereiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, mas a cotar-se a 1,0835 dólares, contra 1,0751 dólares na segunda-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em maio de 2020 abriu hoje em alta, a cotar-se a 28,01 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 27,03 dólares na segunda-feira e 24,88 dólares em 18 de março, um mínimo pelo menos desde março de 2004.

MC (RN) // SB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS