Bolsa de Nova Iorque negoceia em alta, animada pelo setor financeiro

Bolsa de Nova Iorque negoceia em alta, animada pelo setor financeiro

A bolsa de Nova Iorque está hoje a negociar em alta, suportada pelos resultados positivos das empresas e do setor financeiro, caso do Bank of America, que ultrapassou as expetativas do mercado.

Pelas 15:20 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones Industrial subia 0,18% para 26.431,96 pontos, enquanto o Standard & Poor’s avançava 0,28% para 2.913,58 pontos.

O tecnológico Nasdaq, por sua vez, recuperava 0,41% para 8.008,41 pontos.

O segundo banco comercial em ativos, o Bank of America, registou um lucro de 7.311 milhões de dólares no primeiro trimestre deste ano, mais 5,7% que no mesmo período do ano passado, o suficiente, segundo a agência EFE, para alcançar um novo recorde.

Além do setor financeiro, também a área farmacêutica tem reportado bons resultados, o que levou a que os índices Dow Jones Industrial, Standard & Poor’s e Nasdaq se situassem no nível mais alto em seis meses.

A Johnson & Johnson ultrapassou também as previsões dos analistas ao rever em alta a sua projeção de vendas para o final deste ano, o que levou a que as suas ações se valorizassem.

A bolsa nova-iorquina fechou na segunda-feira no vermelho, com o índice Dow Jones Industrial a recuar 0,10%, num dia marcado pela divulgação dos resultados trimestrais das financeiras Goldman Sachs e Citigroup.

O Dow Jones terminou o dia nos 26.384,77 pontos, perdendo 27,53 pontos, uma quebra de 0,10%.

Wall Street teve dia negativo na segunda-feira, digerindo os resultados da Goldman Sachs e do Citigroup, o segundo lote de bancos que divulgou os seus dados trimestrais após o JPMorgan e a Wells Fargo o terem feito na última sessão da semana passada.

JS // EA

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Bolsa de Nova Iorque negoceia em alta, animada pelo setor financeiro

A bolsa de Nova Iorque está hoje a negociar em alta, suportada pelos resultados positivos das empresas e do setor financeiro, caso do Bank of America, que ultrapassou as expetativas do mercado.