Bolsa de Nova Iorque negoceia e alta com Goldman Sachs a ‘brilhar’

A bolsa de Nova Iorque abriu hoje em alta com os bancos a apresentarem um comportamento misto, aproveitando a volatilidade introduzida pela pandemia e com os investidores a duvidarem de um acordo de estímulos económicos antes das eleições presidenciais.

Bolsa de Nova Iorque negoceia e alta com Goldman Sachs a 'brilhar'

Bolsa de Nova Iorque negoceia e alta com Goldman Sachs a ‘brilhar’

A bolsa de Nova Iorque abriu hoje em alta com os bancos a apresentarem um comportamento misto, aproveitando a volatilidade introduzida pela pandemia e com os investidores a duvidarem de um acordo de estímulos económicos antes das eleições presidenciais.

Pelas 14:45 em Lisboa, o índice Dow Jones Industrial subia 0,20% para 28.736,81 pontos, enquanto o Standard & Poor´s 500 valorizava-se 0,10% para 3.515,33 pontos e o tecnológico Nasdaq ganhava 0,51 % para 11.925,83 pontos.

O Bank of América viu os seu ganhos na bolsa recuarem depois de conhecidos os resultados no terceiro trimestre em que o lucro se cifrou em 4.440 milhões de dólares (3.776 milhões de euros), menos 16% em termos homólogos.

Em sentido oposto, o Goldman Sachs alcançou ganhos bolsistas que surpreenderam os mercados.

“Muitos investidores esperavam que o Goldman Sachs superasse as estimativas, mas nada desta magnitude”, disse o analista da Wolf Reasearch, Steven Chubak, num comentário enviado à Bloomberg, numa sessão em que o resultados do Wells Fargo também foram conhecidos.

Por outro lado, os investidores estão atentos a novos estímulos à economia do país, que atravessa dificuldades devido à pandemia de Covid-19, mas começam a duvidar de um acordo antes da eleições presidenciais de 03 de novembro.

As perspetivas futuras para a economia britânica são “excecionalmente incertas” dados os desafios decorrentes da crise da covid-19 e a próxima saída do mercado único, sublinha a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) num relatório hoje divulgado.

Entretanto, a libra depreciou-se face ao dólar, já que a economia do Reino Unido com a saída deste país do mercado da União Europeia (UE) está a gerar “novos desafios”.

Além disso, faz com que as decisões tomadas agora sobre a gestão da pandemia do novo coronavírus e as futuras relações comerciais com Bruxelas tenham um “impacto duradouro” na trajetória económica dos próximos anos, segundo um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), pelo que os investidores estão também atentos às incertezas provocadas.

Entretanto, o ouro valorizou-se 0,5% para 1.900,54 dólares a onça ‘troy’ , enquanto o petróleo bruto West Texas Intermediate recuou 0,4% para 40,02 dólares o barril.

A bolsa nova-iorquina encerrou na terça-feira em baixa, ao fim de quatro dias de subida, com os investidores cada vez mais duvidosos da possibilidade da existência em breve de uma vacina segura contra o novo coronavirus.

Neste dia, que marcou o início da época de divulgação de resultados trimestrais das cotadas, o índice seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu 0,55% para os 28.679,81 pontos.

O tecnológico Nasdaq, por sua vez, recuou 0,10% para 11.683,90 pontos e o alargado S&P500 desvalorizou-se 0,63%, para 3.511,93 pontos.

JS(RN) // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS