Bolsa de Nova Iorque fecha primeira sessão de setembro em baixa

A bolsa de Nova Iorque terminou a primeira sessão de setembro em nítida baixa, influenciada pela guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, que se impuseram tarifas mútuas no domingo, e por uma contração na produção.

Bolsa de Nova Iorque fecha primeira sessão de setembro em baixa

Bolsa de Nova Iorque fecha primeira sessão de setembro em baixa

A bolsa de Nova Iorque terminou a primeira sessão de setembro em nítida baixa, influenciada pela guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, que se impuseram tarifas mútuas no domingo, e por uma contração na produção.

No final da sessão, o índice Dow Jones Industrial, o principal indicador, baixou 1,08%, ou 285,26 pontos, para 26.118,02 pontos, sendo a fabricante de aviões Boeing (-2,65%) a mais prejudicada.

O seletivo S&P 500 desceu 0,69%, ou 20,19 pontos, para 2.906,27, enquanto o índice composto Nasdaq, que cotiza as principais tecnológicas, perdeu 1,11% (88,72 pontos), situando-se em 7.874,16.

Após o feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos, celebrado na segunda-feira, os mercados inauguraram o mês no vermelho devido à imposição de tarifas por parte da Casa Branca às importações chinesas até 15%, por um valor de 112.000 milhões de dólares (102 mil milhões de euros), que entrou em vigor em 01 de setembro.

Para 15 de dezembro está previsto que se aplique esse mesmo aumento sobre o resto dos bens chineses, o que terá impacto em produtos como telemóveis, computadores portáteis, consolas de videojogos e alguns jogos.

Em represália, a China pôs em marcha no domingo tarifas entre 5 e 10% a produtos norte-americanos estimados em 75.000 milhões de dólares.

Perante a nova escalada de tensão, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escreveu hoje na rede social Twitter que se for reeleito nas eleições presidenciais de 2020 será “muito mais duro” na hora de negociar um acordo comercial.

AH // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS