Bolsa de Lisboa em alta com Jerónimo Martins a subir quase 2%

A bolsa de Lisboa estava hoje em alta, a manter a tendência da abertura, com as ações da Jerónimo Martins a liderar os ganhos, a subirem 1,98% para 20,60 euros.

Bolsa de Lisboa em alta com Jerónimo Martins a subir quase 2%

Bolsa de Lisboa em alta com Jerónimo Martins a subir quase 2%

A bolsa de Lisboa estava hoje em alta, a manter a tendência da abertura, com as ações da Jerónimo Martins a liderar os ganhos, a subirem 1,98% para 20,60 euros.

Cerca das 09:10 em Lisboa, o PSI avançava 0,34% para 5.758,98 pontos, com 12 ‘papéis’ a subirem, dois a descerem e um a manter a cotação (Semapa em 13,90 euros).

Às ações da Jerónimo Martins seguiam-se as da Navigator e dos CTT, que se valorizavam 1,91% para 3,73 euros e 1,52% para 3,35 euros.

As ações do BCP, EDP Renováveis e Mota-Engil eram outras das que mais se valorizavam, designadamente 0,55% para 0,15 euros, 0,50% para 22,10 euros e 0,49% para 1,22 euros.

As outras seis ações que subiam registavam acréscimos de cotação entre 0,14% e 0,27%.

Em sentido contrário, as ações da Galp e da NOS desciam 0,40% para 11,27 euros e 0,26% para 3,87 euros.

Na Europa, as principais bolsas estavam hoje em alta, numa sessão em que será conhecido o dado da produção industrial da zona euro em setembro.

As bolsas na Europa seguiam a tendência de Wall Street na sexta-feira, depois de a bolsa nova-iorquina ter registado a melhor sessão em dois anos, com o Dow Jones a subir 3,70% e o Nasdaq 7,35%, sustentada pelo anúncio da queda da taxa de inflação homóloga nos EUA, que abrandou para 7,7% em outubro, o nível mais baixo desde janeiro, depois de ter atingido 8,2% em setembro.

Apesar destes registos, os futuros dos principais indicadores de Wall Street antecipam uma abertura em baixa hoje, depois de vários membros da Reserva Federal dos EUA (Fed) terem reiterado que o banco central norte-americano não tenciona travar a política monetária até que a inflação se aproxime do objetivo de 2%, referem analistas citados pela Efe.

Hoje os investidores também vão estar atentos à atualização da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) da oferta e procura mundiais de petróleo de curto prazo.

Na sexta-feira, a Bolsa de Wall Street terminou em alta, com o Dow Jones a subir 0,10% para 33.747,86 pontos, contra o máximo desde que foi criado em 1896, de 36.799,65 pontos, registado em 04 de janeiro deste ano.

O Nasdaq fechou a valorizar-se 1,88% para 11.323,33 pontos, contra o atual máximo, de 16.057,44 pontos, verificado em 16 de novembro do ano passado.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, acima da paridade, a cotar-se a 1,0349 dólares, contra 1,0347 dólares na sexta-feira, pela quinta vez acima da paridade desde 28 de outubro, e 0,9585 dólares em 27 de setembro, um mínimo desde junho de 2002.

O euro está a cotar-se acima da paridade face ao dólar desde 07 de novembro, depois de ter estado abaixo da paridade desde 20 de setembro, com exceção para o dia 26 de outubro (1,0076 dólares).

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro de 2023 abriu com tendência ascendente no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 96,33 dólares, contra 95,99 dólares na sexta-feira e 81,34 dólares em 26 de setembro, um mínimo desde fevereiro deste ano (antes do início da invasão da Ucrânia pela Rússia).

MC // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS