BAD considera que África não está pronta para trocar petróleo por renováveis

O vice-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) Kevin Kariuki defendeu hoje que África não está ainda pronta para trocar a energia fóssil pelas renováveis, mas admitiu que, com recursos do mundo desenvolvido, pode substituir alguns ativos.

BAD considera que África não está pronta para trocar petróleo por renováveis

BAD considera que África não está pronta para trocar petróleo por renováveis

O vice-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) Kevin Kariuki defendeu hoje que África não está ainda pronta para trocar a energia fóssil pelas renováveis, mas admitiu que, com recursos do mundo desenvolvido, pode substituir alguns ativos.

“Em África não estamos no ponto de mudar. A tecnologia para substituir o carvão e o gás não existe”, disse o vice-presidente do BAD para a Energia, Clima e Crescimento Verde, na conferência de imprensa de apresentação dos Encontros Anuais da instituição, que decorrem em Acra entre 23 e 27 de maio.

Segundo o responsável, um projeto só fica esgotado quando uma nova tecnologia aparece, mas as principais fontes de energia renovável capazes de substituir os combustíveis fósseis são o sol e o vento e estas não podem produzir energia constante, estável 24 horas por dia, 365 dias por ano.

“Todos conhecemos as características intermitentes do sol e do vento”, disse Kariuki, reiterando que falta a tecnologia para a África fazer a transição energética.

“Há três ingredientes necessários para a transição: recursos, tecnologia e capacidade. A tecnologia não existe, por isso as circunstâncias para os nossos ativos serem transferidos não estão criadas”, afirmou.

Mas sublinhou que, “se os recursos forem disponibilizados pelo mundo desenvolvido”, o continente africano poderá substituir alguns dos seus ativos de combustíveis fósseis por renováveis.

Referindo-se à iniciativa “Desert to Power”, uma iniciativa liderada pelo BAD para aproveitar o vasto potencial de energia solar na região do Sahel para fornecer acesso à eletricidade a 250 milhões de pessoas, Kariuki disse que mesmo esse projeto não permitirá energia constante porque será preciso criar capacidade de armazenamento da energia produzida.

O Banco Africano de Desenvolvimento promove em maio os seus Encontros Anuais, sob o tema “Alcançar a Resiliência Climática e uma Transição Energética Justa para África”.

FPA // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS