Atualização das tarifas dos táxis entra hoje em vigor

As tarifas dos táxis vão subir em média mais de 8% a partir de hoje, segundo a convenção assinada entre a Direção-Geral das Atividades Económicas, a ANTRAL e a Federação Portuguesa do Táxi e já homologada pelo Governo.

Atualização das tarifas dos táxis entra hoje em vigor

Atualização das tarifas dos táxis entra hoje em vigor

As tarifas dos táxis vão subir em média mais de 8% a partir de hoje, segundo a convenção assinada entre a Direção-Geral das Atividades Económicas, a ANTRAL e a Federação Portuguesa do Táxi e já homologada pelo Governo.

A informação de que a secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, homologou a convenção que procede à atualização das tarifas para a prestação do serviço de transporte de passageiros em táxi foi anunciada em 18 de maio pelo gabinete do ministro da Economia e do Mar.

Esta convenção foi celebrada no dia 13 entre a Direção-Geral das Atividades Económicas, a ANTRAL — Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros e a Federação Portuguesa do Táxi (FPT), “depois de um processo intenso de negociação e de auscultação” junto do Instituto da Mobilidade e dos Transportes e das associações de consumidores.

Assim, “foi acomodado o aumento do Índice de Preços no Consumidor registado entre janeiro de 2012 e janeiro de 2022, traduzido num aumento médio global das tarifas de 8,05%”, segundo a tutela.

O Governo sublinha ainda que desde janeiro de 2013 não havia atualização das tarifas do transporte em táxi.

A programação do novo tarifário, a verificação metrológica e a selagem dos taxímetros deverão ser efetuadas até 31 de julho.

O presidente da FPT, Carlos Ramos, considera que o aumento das tarifas é insuficiente, mas ajuda a mitigar os prejuízos registados no setor nos últimos anos.

“Nós negociámos de facto uma tabela para o ano de 2022 que tem em termos médios para o conjunto no setor uma atualização de 8,05%. Naturalmente não é o que esperávamos porque há mais de 10 anos que a convenção não é atualizada, mas também temos a noção de que não podíamos ir mais longe”, disse à Lusa.

Carlos Ramos explicou que a intenção ao negociar com o Governo foi sempre na perspetiva de se fazer uma atualização para mitigar prejuízos acumulados e que garantisse que os passageiros continuam a viajar nos táxis.

“Foi o que nos levou a assinar esta atualização tarifária. Gostávamos de ir mais longe e o Governo não permitiu que o fosse. Queríamos aproveitar para mexer na estrutura tarifária, mas mantêm-se como está. Não há mexidas no valor da bandeirada, apenas na metragem, mas isto é pouco”, sublinhou.

DD (SO) // ROC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS