Atividade económica com ritmo mais lento de recuperação em setembro

O indicador da atividade económica atingiu em setembro os -1,1 pontos, depois de em agosto ter registado os -1,6 pontos e em julho os -2,6 pontos, segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Atividade económica com ritmo mais lento de recuperação em setembro

Atividade económica com ritmo mais lento de recuperação em setembro

O indicador da atividade económica atingiu em setembro os -1,1 pontos, depois de em agosto ter registado os -1,6 pontos e em julho os -2,6 pontos, segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Lisboa, 18 nov 2020 (Lusa) — A recuperação da atividade económica revelou um ritmo mais lento em setembro, segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a Síntese Económica de Conjuntura, “o indicador de atividade económica, que sintetiza um conjunto de indicadores quantitativos que refletem a evolução da economia, continuou a recuperar em setembro, mas a um ritmo mais lento que o observado desde maio, após ter registado o mínimo da série em abril [-9,4 pontos]”.

O indicador da atividade económica atingiu em setembro os -1,1 pontos, depois de em agosto ter registado os -1,6 pontos e em julho os -2,6 pontos.

Os indicadores de curto prazo relativos à atividade económica na perspetiva de produção, disponíveis para setembro, recuperaram parcialmente, refletindo o contexto de reabertura da atividade económica, depois de terem registado mínimos em abril e maio, em resultado da aplicação de medidas de contenção à propagação da covid-19.

Segundo o INE, para outubro, a informação disponível revela a manutenção do ritmo lento de recuperação da atividade económica, com vários indicadores já disponíveis a assinalar esta tendência.

O indicador de confiança dos consumidores aumentou em outubro e o indicador de clima económico prolongou o perfil de recuperação observado desde maio, mas situando-se ainda abaixo dos níveis pré-pandemia.  

Os indicadores de confiança aumentaram em todos os setores, Indústria Transformadora, Construção e Obras Públicas, Comércio e Serviços – também em outubro.

 

ICO // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS