Assembleia-geral da mutualista Montepio continua hoje para debater contas de 2020

A assembleia-geral da Associação Mutualista Montepio Geral continua hoje, depois de ter sido suspensa no dia 17, para debate pelos associados das contas de 2020 e do plano de ação para 2021.

Assembleia-geral da mutualista Montepio continua hoje para debater contas de 2020

Assembleia-geral da mutualista Montepio continua hoje para debater contas de 2020

A assembleia-geral da Associação Mutualista Montepio Geral continua hoje, depois de ter sido suspensa no dia 17, para debate pelos associados das contas de 2020 e do plano de ação para 2021.

A reunião magna realizada na noite de 17 de maio aprovou as alterações aos novos estatutos e a proposta de regulamento eleitoral dos órgãos sociais, mas foi suspensa cerca da meia-noite, considerando os associados que os pontos que ainda faltavam envolviam muito debate (plano de ação de 2021, contas de 2020 e ainda propostas de melhoria dos estatutos que foram apresentadas durante a reunião) e seria incomportável levar os trabalhos pela madrugada dentro.

A continuação da assembleia-geral ficou marcada para hoje, às 21:00, no mesmo local (Auditório da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa).

A Associação Mutualista Montepio Geral teve prejuízos de quase 18 milhões de euros em 2020, melhor do que os 408,789 milhões de euros negativos de 2019, segundo o relatório e contas que apresenta novamente reservas da auditora.

A PWC considera que o valor registado em ativos por impostos diferidos (de 867,6 milhões de euros, que permitem melhorar os resultados) não são recuperáveis.

Já o relatório do grupo de trabalho dos ativos diferidos, também divulgado no relatório e contas, diverge da PWC ao concluir da recuperabilidade desses ativos.

Este é ano de eleições para a Associação Mutualista Montepio Geral.

As eleições de dezembro vão eleger o Conselho de Administração, o Conselho Fiscal, a Mesa da Assembleia-Geral e a Assembleia de Representantes (o novo órgão social da mutualista, ao abrigo dos novos estatutos, que substitui o Conselho Geral).

O Expresso noticiou há três semanas que candidatos que fizeram parte das listas derrotadas nas últimas eleições, em dezembro de 2018, lideradas então por Fernando Ribeiro Mendes e António Godinho, podem assumir uma candidatura conjunta para afastar a atual administração encabeçada por Virgílio Lima.

Poderá haver ainda uma terceira lista que envolve quadros e diretores do grupo.

Essa lista poderá concorrer autonomamente ou unir-se à lista da continuidade da direção atual ou à lista da oposição, segundo informações recolhidas pela Lusa.

A Associação Mutualista Montepio Geral — que tinha 598.438 associados no fim de 2020 (menos 3.346 do que em 2019) — tem como principal empresa o banco Montepio. É liderada por Virgílio Lima, que em dezembro de 2019 sucedeu a Tomás Correia (presidente durante 11 anos e que saiu face a processos de contraordenação).

Os candidatos à direção da mutualista e ao Conselho Fiscal deverão ter de apresentar-se ainda no verão, uma vez que os seus nomes terão antes das eleições de ser aprovados pela ASF – Autoridade de Supervisão de Seguros e de Fundos de Pensões.

IM // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS