ANPG prevê investimentos de 66 mil milhões de dólares no setor petrolífero em Angola até 2027

A ANPG – Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis estima que o volume de negócios no setor petrolífero atinja 66 mil milhões de dólares nos próximos cinco anos, 40% acima dos cinco anos anteriores.

ANPG prevê investimentos de 66 mil milhões de dólares no setor petrolífero em Angola até 2027

ANPG prevê investimentos de 66 mil milhões de dólares no setor petrolífero em Angola até 2027

A ANPG – Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis estima que o volume de negócios no setor petrolífero atinja 66 mil milhões de dólares nos próximos cinco anos, 40% acima dos cinco anos anteriores.

Segundo um comunicado da concessionária angolana, hoje divulgado, a previsão de 66 mil milhões de dólares (61,4 mil milhões de euros) inclui a extensão das licenças de produção já assinadas entre a ANPG e os operadores, designadamente nos Blocos 15, 17, 18 e também no Bloco 0, bem como atividades ligadas à exploração e ao desenvolvimento de projetos petrolíferos e as atividades operacionais e administrativas.

Os dados foram apresentados pelo diretor do Gabinete de Planeamento Estratégico da agência, Alcides Andrade, no 7.º Conselho Consultivo do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás (Mirempt), realizado em 02 e 03 de junho, em Benguela.

Segundo este responsável, mais de 50% do volume de negócios previsto para os próximos cinco anos estará associado às atividades de exploração e desenvolvimento de projetos petrolíferos, destacando a ampla participação nas licitações efetuadas por concurso público ou em regime de negociação direta.

A ANPG avança, no mesmo comunicado, que está a realizar um estudo de competitividade do setor petrolífero angolano face a outros países, com vista a identificar indicadores competitivos a melhorar, entre os quais adequação da carga fiscal e encurtamento dos prazos que medeiam entre o início do processo de licitação, a adjudicação e a assinatura do contrato de concessão (cerca de um ano).

Outro aspeto abordado no estudo é o modelo dos contratos petrolíferos usado em Angola, com vista a identificar medidas que mitiguem a oscilação dos preços no mercado internacional e que aumentem os incentivos aos investidores em Angola.

 

RCR // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS