Angola assina contratos para produção de petróleo em dois blocos na bacia do Namibe

A ANPG – Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis de Angola anunciou hoje a assinatura de contratos de partilha de produção com as petrolíferas Sonangol e Eni para os blocos 27 e 28, na bacia do Namibe.

Angola assina contratos para produção de petróleo em dois blocos na bacia do Namibe

Angola assina contratos para produção de petróleo em dois blocos na bacia do Namibe

A ANPG – Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis de Angola anunciou hoje a assinatura de contratos de partilha de produção com as petrolíferas Sonangol e Eni para os blocos 27 e 28, na bacia do Namibe.

De acordo com uma nota da ANPG, os contratos de partilha de produção foram assinados em 22 de junho e tornaram-se efetivos em 01 de julho.

Segundo o documento, a Sonangol Pesquisa & Produção irá deter “100% do contrato de partilha de produção para a prospeção, pesquisa, avaliação, desenvolvimento e produção de hidrocarbonetos líquidos e gasosos” no bloco 27.

A Sonangol irá também ter uma quota de 20% no bloco 28, ficando a Eni com uma participação de 60% e a Tiptop Energy Limited também com 20%.

De acordo com a concessionária angolana, a estratégia da Sonangol “visa, entre outros objetivos, melhorar o desempenho da companhia, para a tornar mais competitiva e rentável”, assim como transformá-la “numa operadora petrolífera de alcance global”.

Entre os objetivos está também o interesse em assegurar o aumento dos recursos petrolíferos descobertos, a promoção da identificação de novas reservas de petróleo e gás e alavancar a política energética e de eletrificação do país.

A participação no bloco 28 eleva para cinco o total de blocos onde está presente a Eni. A petrolífera italiana irá operar este bloco, localizado em águas profundas na bacia inexplorada do Namibe, “uma área de exploração fronteiriça junto à costa, com uma profundidade de água entre 1.000 e 2.500 metros”.

A atual quota de produção da empresa é de cerca de 120.000 barris de petróleo por dia.

A administração da ANPG considera que a assinatura destes contratos é “um ato relevante, que demonstra bem o interesse das operadoras petrolíferas internacionais em continuarem a investir na dinamização da produção petrolífera em Angola”.

A concessionária nacional diz que “tudo fará” para que estes acordos “tenham o desempenho esperado” e para apoiar as empresas envolvidas.

De acordo com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Angola produziu em maio cerca de 1,08 milhões de barris de petróleo por dia.

Segundo o Banco Mundial, o setor petrolífero contribui para um terço do Produto Interno Bruto e para mais de 90% das exportações angolanas.

JYO // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS