Agência S&P decide manter ‘rating’ do Banco Africano em AAA com perspetiva estável

A agência de notação financeira Standard & Poor’s decidiu manter o rating do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em AAA, o mais elevado, com uma perspetiva de evolução estável relativamente à capacidade de financiamento desta instituição financeira multilateral.

Agência S&P decide manter 'rating' do Banco Africano em AAA com perspetiva estável

Agência S&P decide manter ‘rating’ do Banco Africano em AAA com perspetiva estável

A agência de notação financeira Standard & Poor’s decidiu manter o rating do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em AAA, o mais elevado, com uma perspetiva de evolução estável relativamente à capacidade de financiamento desta instituição financeira multilateral.

“A perspetiva de evolução estável reflete a nossa expectativa que, nos próximos dois anos, o BAD vai gerir de forma prudente o seu capital e manter níveis sólidos de ativos líquidos de elevada qualidade e um perfil de financiamento robusto”, lê-se numa nota enviada à Lusa.

Entre as previsões para os próximos 18 meses, a S&P espera que os acionistas continuem empenhados em fazer os pagamentos de capital de forma atempada, que o banco continue a beneficiar do tratamento de credor preferencial e que continua a gerir de forma prudente os empréstimos ao setor privado de uma maneira alinhada com o seu mandato.

“O nosso rating do BAD reflete o seu importante papel em África, marcado por um longo histórico de cumprir o seu mandato política através de ciclos económicos diferentes, em conjunto com um apoio robusto dos acionistas”, escrevem os analistas da S&P.

Em outubro de 2019, os acionistas do banco aprovaram o sétimo aumento geral de capital, de 115 mil milhões de dólares para 208 mil milhões de dólares, o valor mais alto da história desta entidade financeira.

“O aumento de capital vai permitir ao BAD continuar a expandir o seu alcance, particularmente no contexto do renovado empenho no financiamento de infraestruturas e empréstimos ao setor privado”, lê-se na nota, que reconhece, no entanto, que o crescimento de 5% no financiamento em 2019 não foi repetido no ano passado devido à pandemia.

“Apesar dos constrangimentos de capital, o BAD vai desempenhar um papel determinante no apoio à região, particularmente no contexto da pandemia de covid-19”, diz a S&P, lembrando os 10 mil milhões de dólares disponíveis para apoiar os países africanos no financiamento do combate à pandemia.

“Consideramos que as políticas de gestão financeira e de risco são conservadoras, e acreditamos que o BAD está bem equipado para lidar com o risco adicional associado com o aumento dos empréstimos ao setor privado”, conclui a S&P na nota que anuncia a manutenção do rating em triplo A.

A manutenção do rating neste nível é positiva para os países acionistas do banco, já que lhes permite terem acesso a financiamento mais barato devido ao rating elevado, ao passo que se esses países fossem aos mercados, enfrentariam taxas de juro mais elevadas devido à mais elevada perceção de risco desses empréstimos e à menor qualidade do crédito soberano.

MBA // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS