Dos relatos de violência de Johnny Depp ao encontro de Amber Heard com James Franco

Amber Heard retomou o testemunho contra Johnny Depp e viu-se atacada pela advogada do ator. Testemunhas da atriz relatam episódios chocantes sobre a estrela de Piratas das Caraíbas. “Agarrou-a pelo cabelo com uma mão e esbofeteou-a com a outra”.

Dos relatos de violência de Johnny Depp ao encontro de Amber Heard com James Franco

Dos relatos de violência de Johnny Depp ao encontro de Amber Heard com James Franco

Amber Heard retomou o testemunho contra Johnny Depp e viu-se atacada pela advogada do ator. Testemunhas da atriz relatam episódios chocantes sobre a estrela de Piratas das Caraíbas. “Agarrou-a pelo cabelo com uma mão e esbofeteou-a com a outra”.

O julgamento por difamação que opõe Johnny Depp a Amber Heard está quase a chegar ao fim –  prevê-se que termine a 27 de maio. Mas enquanto não termina ouvem-se testemunhos cheio de acusações de abuso físico e emocional de ambos os lados.

Johnny Depp e Amber Heard: postura em tribunal revela quem tem razão?
O processo que opõe Johnny Depp e Amber Heard continua a dar que falar e há quem defenda que a postura dos atores é um sinal de quem tem a razão do seu lado (… continue a ler aqui)

Depois de uma semana de pausa, Amber Heard voltou a sentar-se no banco dos réus do tribunal de Fairfax, no estado norte-americano da Virgínia. Na segunda e terça-feira, a atriz tentou relatar, com todos os detalhes possíveis, várias situações em que diz ter sido vítima de violência física por parte do ex-marido. Mas a advogada de Depp, Camille Vasquez, teimava em interromper incessantemente as questões de Elaine Bredehoft (advogada da atriz) que ficava sem saber como reagir. E quando chegou o momento de Heard enfrentar o contra-interrogatório,  Vasquez foi implacável e fez questão de colocar o dedo na ferida e não poupar a atriz.

Boa tarde, senhora Heard. O senhor Depp não olhou para si durante o julgamento anterior, não foi?“. Foi assim que Camille Vasquez deu início ao interrogatório desta segunda-feira, 16, e esclareceu a misteriosa postura do ator. Que eu tenha reparado, não”, respondeu a atriz. “A senhora, por outro lado, olhou para ele diversas vezes, não foi? (…) Sabe exatamente o motivo do senhor Depp não olhar para si, não sabe?”, questionou a advogada de 38 anos, antes de retomar a palavra e assumir a explicação. “Ele prometeu-lhe que nunca mais iria olhar para os olhos dele, não é verdade?”, voltou a questionar. Apesar de Amber Heard garantir que não se lembrava de alguma vez ter ouvido tal promessa, Vasquez fez-se acompanhar da gravação de uma conversa que terá acontecido durante um encontro do ex-casal em São Francisco, já depois do pedido de divórcio, em julho de 2016. “Não sou nada para ti e nunca fui nada para ti. Nunca mais nos vamos ver. Gostavas de voltar a olhar para os meus olhos? Nunca mais vais ver os meus olhos outra vez”,  disse, à data, Johnny Depp.

De seguida, Camille Vasquez avançou com o interrogatório e fez questão de sublinhar que a atriz mentiu quando disse que tinha doado o montante do seu acordo de divórcio de sete milhões de dólares (6,7 milhões de euros) de 2016. “Até hoje, não pagou 3,5 milhões do seu dinheiro à ACLU… até hoje, não pagou 3,5 milhões do seu dinheiro ao Hospital Infantil de Los Angeles”, esclareceu a causídica perante uma desconfortável, mas concordante, Amber Heard. “Eu prometi a totalidade” do valor às instituições, avançou Heard, acrescentando que não tinha sido capaz de cumprir a promessa por “estar a ser processada”. No entanto, a advogada de Depp lembrou que os sete milhões de dólares foram entregues quase seis meses antes do seu ex-marido a ter processado, em Março de 2019, e que pelo menos 500 mil dólares foram pagos à ACLU por Elon Musk, o multimilionário com quem Heard namorou após o divórcio. A atriz insistiu que as doações de Musk não tinham nada a ver com os 3,5 milhões de dólares prometidos por si.

Camille Vasquez fez questão de colocar o dedo na ferida e regressou ao emotivo testemunho da actriz sobre uma alegada violação.Testemunhou que foi violada com uma garrafa”, lembrou Camille Vasquez, recordando que a actriz disse que “sangrou da vagina” para, logo a seguir, perguntar se tinha procurado cuidados médicos ou tirado alguma fotografia. “Eu não queria dizer a ninguém”, respondeu Heard. Vasquez continuou a questionar todos os episódios em que Heard afirmou ter sido agredida por Depp.

Apesar de a equipa de Amber Heard ter apresentado fotografias da atriz com lesões, vermelhidão e até inchaço à volta de um olho, esta terça-feira, 17, a equipa de defesa de Depp exibiu fotografias, maioritariamente de aparições públicas do casal em eventos oficiais, que remontam às mesmas alturas. No entanto, nestas imagens não se veem quaisquer lesões no corpo da atriz. Os advogados do ator sugeriram que as provas apresentadas foram editadas, no entanto Amber Heard garantiu estar maquilhada nos eventos em que marcava presença. “Não vou andar por Los Angeles com hematomas no rosto”, disse. “Devia ver como estava debaixo da maquilhagem”, acrescentou. A equipa de defesa de Depp sugeriu ainda que a maquilhagem não taparia o alegado nariz magoado e inchado de que a atriz já se havia queixad0, mas Heard garantiu que usava gelo para reduzir o inchaço.

A advogada de Johnny Depp continuou a expor incongruências de Amber Heard, como a faca que esta ofereceu ao ex-marido em 2012. Camille perguntou então à atriz o motivo de dar um objeto perigoso a um homem que acusa de agressão. “Esta é a faca que deu ao homem que se embebedava e era violento consigo?“, perguntou. Amber respondeu: “Esta é a faca que lhe dei de presente, sim.Não estava preocupada que ele me apunhalasse com isso, pode ter a certeza“.  A advogada quer então saber por que motivo Amber deu a arma ao ex-marido quando alega que naquela época era agredida. Amber desmente e diz que na altura as alegadas agressões ainda não tinham começado.

Ainda no seu testemunho, Amber Heard confirmou que passou a noite que antecedeu o seu pedido de divórcio de Johnny Depp com James Franco na sua casa, a 22 de maio de 2016. “Ele era meu amigo. E vivia ali ao lado, literalmente na porta ao lado”. “E eu, sinceramente, já tinha cansado o meu grupo de amigos habituais e estava feliz por ter o máximo de amigos possível na altura”, nota. Heard referiu igualmente que Johnny sempre teve ciúmes da sua amizade com James Franco. “Ele odiava o James Franco e já me tinha acusado de ter tido um caso em segredo com ele no meu passado”, justifica.

As testemunhas: o armário de canábis e o cão pela janela

Testemunhas chamadas pela defesa da atriz nestes dias revelaram presenciar agressões de Depp para com Amber. Nesta terça-feira, 17 de maio, iO Tillett Wright, amigo da atriz afirmou que “o Johnny, quando sóbrio, era adorável e mágico… quando sóbrio, ele era lúcido, engraçado e imaginativo”. O escritor afirmou que “o álcool trazia um lado muito feio dele”, o que Depp reconheceu, e embora tenha dito que era “exaustivo” ficar sóbrio, prometeu fazê-lo por Heard. iO Tillett Wright referiu que após a cirurgia dentária, Johnny Depp ficou viciado em OxyContin, um analgésico opiáceo. “Ele referiu-se a isso como a coisa mais difícil que ele já tentou livrar-se”, contou, adiantando que a estrela de Piratas das Caraíbas também lhe “mostrou o seu closet de marijuana”. O escritor afirmou, ainda, que viu o ator a consumir cocaína em várias ocasiões, incluindo uma vez em Londres com Marilyn Manson.

iO relatou um episódio em que o ator se mostrou envergonhado e arrependido por estar alcoolizado ao ponto de urinar em si mesmo à frente dos filhos, Lily-Rose e Jack. “Houve uma vez que ele desmaiou na areia das Bahamas à frente dos filhos e a equipa levou-o embora”, relembrou. O autor e apresentador de televisão confirmou, também, os ciúmes que Johnny tinha de Amber com outros colegas de profissão e conta que ouviu a atriz ser agredida pelo ex-marido. Em maio de 2015, iO recebeu uma chamada de Amber e os dois começaram a rir-se porque Johnny os havia acusado de defecar no lado da sua cama. O escritor disse que ouviu uma chapada, “o telemóvel caiu” e ouviu a atriz gritar.

A irmã de Amber Heard foi a primeira testemunha a ser ouvida nesta quarta-feira. Interrogada pela defesa da atriz, Whitney Heard Henriquez afirmou que chegou a ver-se no meio das discussões verbais e físicas entre a irmã e o ex-marido e que viu Johnny Depp a agredir Heard com violência, em março de 2015, depois da atriz ter descoberto que o então marido tinha tido um caso.  Whitney recordou que viu Depp embriagado a acusar a ex-mulher de o ter forçado a ter um caso e que, a certa altura, o ator subiu as escadas para confrontar Heard e lhe deu um encontrão nas costas. A ex-mulher ficou enervada com a situação e “deu-lhe uma”, com a irmã presa entre os dois. Um dos seguranças ainda tentou parar a discussão, mas acabaria por ser tarde demais. “Nessa altura, o Johnny já a tinha agarrado pelo cabelo com uma mão e esbofeteava-a na cara com a outra”, recordou Whitney, acrescentando que esta foi a única vez que viu agressões físicas entre os dois, mas que chegou a ver a irmã com hematomas por diversas vezes.

Whitney disse, ainda, que viu Johnny Depp a ameaçar um dos cães da atriz durante uma discussão. O ator segurou o cão na parte de fora do carro durante uma viagem. “A certa altura ouço a porta do carro a abrir – a janela de trás – e o Johnny estava a segurar o nosso cão fora da janela”, garantiu. “Fiquei paralisada. Estava com medo porque sabia que ele era inebriado e o cão era muito pequeno”, relatou. A irmã de Amber terminou dizendo que Depp acabou por voltar a pôr o animal dentro do carro, começando a rir-se nessa altura. “Ele fez uma piada qualquer sobre colocá-lo no microondas”, disse por fim.

De seguida, foi a vez do testemunho de Raquel Pennington, amiga de Amber Heard, ser exibido em tribunal. No vídeo, Pennington contou que viu hematomas e cortes na atriz depois de várias alegadas agressões físicas de Depp. Em dezembro de 2015, depois da discussão em que Heard diz que Depp deu uma cabeçada nela e que talvez lhe tenha partido o nariz, Pennington diz que viu os ferimentos e tirou fotos. As imagens, exibidas em tribunal, mostram Amber com o nariz inchado, um corte no lábio e os olhos negros, assim como vários pedaços de cabelo espalhados no chão, que a amiga da atriz afirmou terem sido arrancados da cabeça de Heard por Depp.  Pennington garantiu ainda que, por causa das agressões, Heard tinha que “cobrir hematomas e ferimentos no rosto” muitas vezes com maquilhagem.

Para além da agressão de dezembro, Pennington, que chegou a viver com Depp e Heard numa das casas do ator, testemunhou ainda que viu cortes nos pés de Heard quando esta regressou da viagem à Austrália e que foi a primeira pessoa a ver a atriz depois da discussão que levou ao divórcio do casal, em maio de 2016. Nesta última discussão, Pennington diz mesmo que se colocou entre Heard e Depp, que o ator a tentou afastar, e que por isso acabou por cobrir o corpo da atriz com o seu enquanto o ator gritava à então mulher que se levantasse.

Impala Instagram


RELACIONADOS