Dois pilotos da Air France suspensos depois de lutarem dentro do ‘cockpit’

Dois pilotos da Air France foram suspensos de funções depois de terem lutado fisicamente no ‘cockpit’ num voo de Genebra para Paris em junho, afirmou um funcionário da Air France.

Dois pilotos da Air France suspensos depois de lutarem dentro do 'cockpit'

Dois pilotos da Air France suspensos depois de lutarem dentro do ‘cockpit’

Dois pilotos da Air France foram suspensos de funções depois de terem lutado fisicamente no ‘cockpit’ num voo de Genebra para Paris em junho, afirmou um funcionário da Air France.

Apesar do confronto físico, O voo em questão continuou e aterrou em segurança, acrescentou o mesmo funcionário, citado pela agência AP.

Segundo o jornal francês La Tribune, o piloto e co-piloto entraram em conflito pouco depois da descolagem e agarraram-se um ao outro pelos colarinhos, depois de um deles ter aparentemente atingido o outro.

A tripulação de cabine interveio e um membro passou o voo na cabina de pilotagem, juntamente com os pilotos, avançou o meio de comunicação francês.

A notícia do confronto surge depois de a agência de investigação aérea francesa, BEA, ter emitido um relatório na quarta-feira acusando alguns pilotos da Air France de não respeitarem rigorosamente os procedimentos de segurança.

O relatório centrou-se numa fuga de combustível num voo da Air France, de Brazzaville (República do Congo) para Paris em dezembro de 2020, quando os pilotos não cortaram a energia do motor ou tentaram aterrar o mais cedo possível, tal como mandam os protocolos de segurança.

O avião acabou por aterrar em segurança no Chade, mas o relatório da BEA calculou que o motor poderia ter pegado fogo.

Segundo o relatório, que teve em conta outros três casos semelhantes entre 2017 e 2022, concluiu-se que alguns pilotos agem com base na sua própria análise da situação em vez de seguirem os protocolos de segurança.

Em resposta, a Air France disse estar já a realizar uma auditoria de segurança e comprometeu-se a seguir as recomendações da BEA, como permitir que os pilotos estudem posteriormente o voo e tornar os manuais de formação mais rigorosos sobre o cumprimento dos procedimentos.

A companhia aérea observou que, apesar de fazer milhares de voos diariamente, apenas foram mencionados quatro incidentes de segurança no relatório.

Os sindicatos de pilotos da Air France insistiram também que a segurança é um valor primordial para todos os pilotos da companhia e apoiaram as ações dos profissionais durante as situações de emergência.

BZF/PDF // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS